Chancelaria descarta risco aos EUA de sistemas russos na Venezuela

Sistemas Iglá são projetados para uso contra alvos aéreos em baixa altitude

Sistemas Iglá são projetados para uso contra alvos aéreos em baixa altitude

Iúri Smitiuk/TASS
Sistemas portáteis de defesa antiaérea Iglá-S comprados no governo Chávez representariam ameaça, segundo agência de notícias Reuters. Ministério dos Negócios Estrangeiros russo nega que haja motivo para preocupação.

Os 5.000 sistemas de defesa antiaérea Iglá-S comprados da Rússia durante o governo de Hugo Chávez representam grande ameaça para aviões comerciais e militares se caírem em “mãos erradas”, publicou a Reuters.

Segundo a agência, que se baseou em dados de um documento do Ministério da Defesa venezuelano, os sistemas portáteis preocupam os militares dos EUA devido a tensão política no país latino-americano.

A chancelaria russa negou, porém, que haja motivo para preocupação.

“A agitação em torno desse assunto causa perplexidade e dá a sensação de que está sendo provocada artificialmente”, disse o diretor do departamento para não proliferação e controle de armas do Ministério dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Mikhail Uliánov, em entrevista à agência de notícias Interfax.

O diplomata russo afirmou ainda que não há restrições para o fornecimento e a compra de sistemas de defesa aérea, exceto em casos em que um embargo de armas é imposto a determinado país. “Não é o caso da Venezuela”, destacou Uliánov.

“Nesse caso, não há restrições e não se entende o porquê dessa preocupação em relação à Venezuela”, concluiu.

Os Iglá são projetados para uso contra alvos aéreos em baixa altitude. O sistema é amplamente utilizado na Rússia e na CEI (Comunidade dos Estados Independentes), e já é exportado, desde 1994, a mais de 30 países.

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.