Rússia desenvolve quebra-gelos de combate para Ártico

Embarcações suprirão necessidades militares que hoje são realizadas por navios civis.

Embarcações suprirão necessidades militares que hoje são realizadas por navios civis.

Rank_X/flickr.com
Novas embarcações de patrulha do projeto 23550 combinarão atribuições de quebra-gelos e navios de guerra, e serão entregues às Forças Armadas da Rússia em 2019.

O novo programa para consolidação da presença militar da Rússia no Ártico contará com a produção de veículos militares capazes de operar em duras condições climáticas, formação de brigadas árticas e construção de aeroportos e infraestrutura militar na região, segundo fonte no complexo militar-industrial que não quis ser identificada

Além disso, o Ministério da Defesa da Rússia teria encomendado em 2014 novos quebra-gelos militares de fabricantes estatais.

Por muitos anos, foram quebra-gelos civis que abriram caminho para os navios militares, o que criou muitas dificuldades na logística dos navios no Ártico.

Hoje, para poder usar navios quebra-gelos, os militares precisam realizar inúmeras negociações e assinar diversos acordos com o governo e empresas civis.

Para evitar esse processo atribulado, o Ministério da Defesa decidiu construir seus próprios quebra-gelos destinados a fins militares no Ártico.

“Ilya Muromets”

O primeiro quebra-gelo construído para o Ministério da Defesa foi o navio do Projeto 21180 “Ilya Muromets”. A embarcação, cuja construção foi finalizada em 2016, será modernizada até o final de 2017.

Esse quebra-gelo diesel-elétrico de nova geração foi projetado para garantir o acesso da Marinha russa aos territórios do Ártico durante todo o ano. 

No entanto, o “Ilya Muromets” não carrega armamentos a bordo. Assim, é quase indistinguível dos quebra-gelos para uso civil.

“Ivan Papanin” e “Nikolay Zubov”

Devido à impossibilidade de armar navios do Projeto 21180, o Ministério da Defesa decidiu desenvolver um novo tipo de embarcação que poderá ser usada como quebra-gelo e navio militar ao mesmo tempo.

O principal navio do Projeto 23550, “Ivan Papanin”, será entregue à Marinha russa em 2019.

“O Ministério não quer se limitar a apenas um quebra-gelo militar e, em 2018, iniciará o desenvolvimento do segundo navio do Projeto 23550, que receberá o nome de ‘Nikolay Zubov’.

O segundo navio combinará as qualidades de um quebra-gelo e de navio de carga e de resgate com as capacidades de um navio de guerra”, disse à Gazeta Russa o especialista militar Dmítri Litóvkin.

O “Nikolay Zubov” possibilitará defesa e monitoramento de recursos hídricos do Ártico, assim como acompanhamento de navios detidos.

Na atualidade, existe um único quebra-gelo de combate no mundo. Chamado “Svalbard”, ele pertence à Guarda Costeira da Noruega. 

O Canadá também está desenvolvendo uma série de navios da classe “Harry DeWolf” semelhantes ao norueguês.

“O ‘Ivan Papanin’ terá caraterísticas superiores a seus análogos estrangeiros. O navio russo poderá realizar ataques contra grupos de navios e alvos terrestres”,  diz Litóvkin.

Navios armados até os dentes 

O “Ivan Papanin” será armado com mísseis de cruzeiro “Kalibr-NK” e, segundo especialistas militares independentes, poderá carregar ainda oito lançadores de mísseis.

“Esse quebra-gelo de combate terá convés aberto e sua popa abrigará um compartimento livre com diversos módulos removíveis”, diz Litóvkin.

Os módulos poderão ser usados para levar armamentos e diferentes lançadores, inclusive para mísseis “Kalibr”, mísseis “anti-navio X-35” e minas de dragagem.

Além disso, todos os quebra-gelos militares do Projeto 23550 serão equipados com armamento naval “AK-176MA”, que podem disparar até 125 tiros por minuto, com o alcance efetivo de até 16 quilômetros.

O “AK-176MA” é a primeira arma naval na Marinha russa produzida com base em tecnologia furtiva, que ajuda a reduzir a visibilidade dos radares inimigos.

O navio também poderá levar helicópteros “Ka-27”, terá um hangar para aeronaves e veículos aéreos não tripulados (VANTs) e dois barcos de combate de alta velocidade “Raptor”.

Todos os quebra-gelos militares do Projeto 23550 terão 110 metros de comprimento e 20 metros de largura e poderão quebrar blocoa de gelo de até 1,5 metro - uma profundidade menor em comparação com os quebra-gelos civis, que quebram até 2,8 metros.

Para Litóvkin, porém, isso não impedirá a passagem bem-sucedida de navios ao longo da Rota do Mar do Norte e o cumprimento de suas missões.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.