Porta-Aviões russo Almirante Kuznetsov será renovado e terá novas armas

Além das armas, os especialistas pretendem renovar os motores e todos os equipamentos eletrônicos do porta-aviões.

Além das armas, os especialistas pretendem renovar os motores e todos os equipamentos eletrônicos do porta-aviões.

RIA Novosti
Além de levar a bordo aviões de combate e helicópteros, o maior porta-aviões russo poderá realizar ataques usando os mísseis de cruzeiro Kalibr-NK.

A Marinha russa vai inciciar em breve a modernização do porta-aviões Admiral Kuznetsov - o principal da frota naval russa.

Segundo fonte no complexo militar-industrial, que não quis ser identificada, os sistemas de mísseis Granit, considerados fisicamente e moralmente obsoletos, serão substituídos por sistemas de lançamento universal 3S14, capazes de lançar mísseis de cruzeiro Kalibr-NK, mísseis supersônicos Oniks e mísseis hipersônicos Tsirkon. A troca é vista de forma positiva por especialistas em defesa.

"A Rússia tem menos navios que podem formar um grupo de apoio e garantir a segurança dos porta-aviões do que os Estados Unidos. É por isso que os militares decidiram instalar novas armas ofensivas no próprio porta-aviões", disse o analista militar da agência de notícias TASS, Víktor Litôvkin.

Além das armas, os especialistas pretendem renovar os motores e todos os equipamentos eletrônicos do porta-aviões.

"Queremos modernizar a área do convés para garantir a segurança de decolagem e pouso dos caças”, declarou a fonte à agência de notícias TASS.

O grupo de ataque aéreo do Almirante Kuznetsov continuará a ser composto pelos caças MiG-29K/KUB e Su-33 e helicópteros multifuncionais Ka-27 e Ka-31.

No final do ano passado, dois caças caíram no Mediterrâneo ao pousarem no porta-aviões. Nos dois casos os acidentes foram causados por problemas nos cabos de desaceleração, usados para ajudar a parar as aeronaves.

O maior problema do Almirante Kuznetsov

Para especialistas militares, o maior desafio no processo de modernização do Almirante Kuznetsov é o motor, considerado desatualizado.

"Não sabemos o que os técnicos vão descobrir durante o diagnóstico do Almirante Kuznetsov. Os engenheiros terão que decidir o que fazer com o motor: modernizá-lo para que o porta-aviões possa servir durante mais alguns anos antes de parar por completo ou substituí-lo por um novo, o que exigirá a reconstrução de todo o navio", disse à Gazeta Russa o editor-chefe da revista Arsenal Otêtchestva, Víktor Murakhôvski.

Segundo ele, a troca do motor vai deixa o navio parado nas docas por vários anos, além de ter um custo muito elevado.

Outro ponto são os rumores de que o governo russo está prestes a iniciar a construção de um novo porta-aviões, o Shtorm. Mas os planos ainda não foram confirmados. 

"O Shtorm custa dez vezes mais do que a modernização do Kuznetsov. Simplesmente não há dinheiro suficiente para esse projeto, além disso, não vejo muita necessidade nesse tipo de navio hoje", completou.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.