Kalashnikov apresenta novas armas para arsenal russo

Visitante da "Army 2016" faz pontaria com a nova RPK-16 nos arredores de Moscou.

Visitante da "Army 2016" faz pontaria com a nova RPK-16 nos arredores de Moscou.

Grigoriy Sysoev / RIA Novosti
Armas integrarão arsenal das Forças Armadas, da Guarda Nacional e do Serviço de Segurança Federal da Rússia.

O grupo empresarial Kalashnikov apresentou uma nova coleção de armas ligeiras, entre as quais a metralhadora RPK-16 e fuzis de precisão SVK, que integrarão o arsenal russo. O armamento foi demonstrado durante o fórum de técnica militar “Army 2016”, realizado entre 6 e 11 de setembro, nas proximidades de Moscou.

Com calibre 5,45 milímetros, a nova metralhadora RPK-16  é uma versão bastante modernizada do modelo soviético RPK-74.

Apesar de ainda eficaz, de acordo com o diretor-geral do grupo empresarial Kalashnikov, Andrêi Kirissenko, a antiga RPK-74 tem uma série de desvantagens.

“O carregador tem capacidade para apenas 45 cartuchos. Assim, o modelo soviético é muito grande e pesado, e impede, por exemplo, o desembarque de veículos blindados. Mas a RPK-74 provou ser uma arma confiável em combate sob quaisquer circunstâncias meteorológicas. Por isso, decidimos não reinventar a roda, mas adaptar o modelo antigo às necessidades atuais", disse Kirissenko à Gazeta Russa.

A nova RPK-16 é equipada com trilhos Picatinny, o que permite a instalação de qualquer tipo de mira ótica - desde a de visão noturna, térmica ou colimadora até a mira especial para atiradores de elite.

RPK-16. Fonte: YouTube/Mikhail Iárin

"A metralhadora pode disparar tiros únicos e derrubar alvos com diâmetro de 20 cm que estejam a uma distância entre 300 e 400 metros. A RPK-16 ainda pode atingir alvos maiores a uma distância de 800 metros", explica Kirissenko.

A versão atualizada da arma também recebeu um novo carregador com capacidade de 96 cartuchos. Além disso, a RPK-16 pode utilizar os carregadores clássicos dos fuzis AK-74M, usados até hoje pelo Exército russo.

A nova metralhadora pesa apenas 4,5 kg, enquanto o peso da RPK-74 é de quase 10 kg.

"Os soldados avaliarão a nova arma e aperfeiçoaremos o produto com base em seus comentários. As unidades do Serviço de Segurança Federal e da Guarda Nacional da Rússia já mostraram interesse pela RPK-16”, disse Kirissenko.

SVK

Segundo uma fonte no complexo militar que não quis ser identificada, a RPK-16 substituirá a metralhadora Petcheneg, usada atualmente pelas Forças Armadas russas.

Fuzil de precisão SVK

O grupo empresarial Kalashnikov apresentou ainda dois modelos de teste do fuzil de precisão semiautomático SVK, que utiliza cartuchos russos de 7.62 x 54 mm e da Otan, de 7.62 x 51 mm.

Segundo os desenvolvedores, o SVK deverá substituir o fuzil de precisão Dragunov (SVD).

"O SVD foi desenvolvido há meio século e, hoje, seu potencial está esgotado. O novo fuzil semiautomático é mais fácil de usar e mais compacto. O fuste da coronha não é apoiado no cano, o que aumenta a precisão do tiro, e a coronha dobrável permite um uso mais efetivo em combate", diz Kirissenko.

"A principal vantagem do SVK é o peso. O fuzil alemão Heckler & Koch, por exemplo, pesa 7,5 kg, enquanto o novo modelo russo tem apenas 4,2 kg. Mesmo com o peso reduzido, porém, a precisão e o alcance do tiro do SVK não são menores”, completa.

O alcance efetivo do SVK é de até 1 km. O carregador tem capacidade para 10, 15 ou 20 cartuchos.

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.