Novos bombardeiros estratégicos voarão na estratosfera

Primeiro voo da aeronave modernizada será realizado em 2018

Primeiro voo da aeronave modernizada será realizado em 2018

Divulgação
Tu-160M2 poderá alcançar altura de 18 mil metros, inatingível para todos os tipos de sistemas antiaéreos e antimísseis.

No final de 2016, o Ministério da Defesa da Rússia receberá o primeiro lote de novos motores NK-32 para bombardeiros estratégicos Túpolev Tu-160M2. Segundo seus desenvolvedores, o motor permitirá que a aeronave alcance a estratosfera, a uma altitude de 18 mil metros.

"A nova versão do motor NK-32 poderá funcionar não só como um motor a jato para aeronaves, mas também como um motor de foguetes. Como resultado, o Tu-160M2 poderá atingir tal altitude, que não poderá ser derrubado pelos existentes sistemas de defesa aérea", disse uma fonte do complexo militar russo que não quis ser identificada.

O primeiro voo da aeronave modernizada será realizado em 2018.

Segundo vice-diretor da Túpolev, Valéri Solozobov, embora o novo Tu-160 não apresente alterações no design, trata-se de um modelo completamente novo e que traz caraterísticas técnicas diferenciadas.

De acordo com o comandante-chefe das Forças Aeroespaciais da Federação Russa, Víktor Bôndarev, o Ministério da Defesa planeja comprar cerca de 50 aviões Tu-160M2. A produção em série da aeronave terá início em 2021.

Por que dar vida nova ao Tu-160?

Enquanto o cronograma  Rússia está atrasado no desenvolvimento do bombardeiro estratégico de nova geração, PAK DA, o Tu-160 modificado deve preencher uma lacuna nas Forças Aeroespaciais do país.

O primeiro modelo de teste do PAK DA será construído apenas em 2020.

"A aeronave deverá servir de substituta, em curto prazo, para o PAK DA nas Forças Aeroespaciais russas. Diversas aeronaves de longo alcance cumprirão, em breve, seu período de garantia, e o Ministério começará o processo de substituição", diz o observador militar do jornal Izvêstia, Dmítri Litóvkin.

Tu-160 lança mísseis de cruzeiro contra alvos terroristas na Síria Fonte: YouTube/Ministério de Defesa da Rússia

Segundo a fonte militar que não quis ser identificada, o projeto do novo Tu-160 pode vir a ser um dos mais caros da década de 2020, com custo será equiparável ao do desenvolvimento de novos submarinos nucleares da classe Borei portando mísseis Bulava - cujo preço varia entre 5 e 7 bilhões de dólares.

Armamento do Tu-160M2 

O novo Túpolev será usado não só como arma de contenção, mas também para cumprir diversas tarefas do Ministério da Defesa.

"Os aviões poderão levar mísseis de cruzeiro nucleares e convencionais, inclusive mísseis de longo alcance da nova geração X-101 e X-555 ", diz o ex-comandante supremo das Forças Aéreas, Piotr Dainékin.

Segundo ele, a aeronave pode transportar mísseis de cruzeiro X-55SM com coordenadas indicadas para abater alvos em um local específico.

"O Tu-160 pode ser equipado com qualquer tipo de bombas: de perfuração, fragmentação, minas marítimas etc. O peso total das cargas pode chegar a 40 toneladas", completa Dainékin.

Características técnicas de Tu-160
Tripulação: 4 pessoas
Comprimento: 54,1 metros
Altura: 13,1 metros
Envergadura: 55,7 metros
Peso vazio: 110 mil kg
Peso máximo de decolagem: 275 mil kg
Peso de combustível: 148 mil kg.
Velocidade máxima ao nível do mar: 1.030 km/h
Velocidade máxima em altitude: 2.200 km/h
Alcance máximo sem reabastecimento: 18.950 km.
Teto de voo: 18.000 m.

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.