Rússia planeja satélite de nova geração para 2019

Foguete russo Angara em lançamento no Cosmódromo de Plesetsk

Foguete russo Angara em lançamento no Cosmódromo de Plesetsk

Vitáli Belousov/RIA Nôvosti
Tecnologia já ajuda no monitoramento de terroristas, sobretudo na Síria. Depois do primeiro equipamento em 2019, outros dois são esperados, para 2022 e 2024.

As Forças Aeroespaciais russas e o centro estatal de pesquisa e produção Progress, com sede em Samara, estão trabalhando em conjunto em um projeto para desenvolver uma nova geração de satélites Razdan, informou o jornal russo “Kommersant”.

A previsão, segundo um oficial do Ministério da Defesa não identificado, é que o primeiro satélite da nova série seja lançado do Cosmódromo de Plesetsk, a 800 km de Moscou, em 2019, e o segundo e o terceiro, em 2022 e 2024, respectivamente.

“Há necessidade de ampliar a capacidade de reconhecimento a partir do espaço, e o Ministério da Defesa russo encomendou ao centro de Samara a criação de uma nova série de satélites”, disse o observador militar Dmítri Safonov, à Gazeta Russa.

Entre as principais funções de satélites civis para as forças russas está o monitoramento dos militantes do Estado Islâmico (EI) no Oriente Médio.

A ideia é que o Razdan substitua o Persona, atualmente em uso na Síria. Além de nova carga útil, o sistema de reconhecimento eletro-ótico de nova geração terá canal de rádio de alta velocidade com proteção adicional.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail?
Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.