Tanque da 2ª Guerra é extraído de fundo de rio no sul da Rússia

Tanque foi descoberto no fundo do rio Don em abril de 2016

Tanque foi descoberto no fundo do rio Don em abril de 2016

Kristina Brajnikova/TASS
Único T-34 que restou do conflito ficou submerso por mais de meio século. Especialista acredita que, devido a boas condições de conservação, será possível fazê-lo funcionar.

O único tanque soviético T-34 que havia restado da Segunda Guerra Mundial foi recuperado do rio Don, no sul da Rússia, informou a agência de notícias TASS. O veículo blindado produzido na Fábrica de Tratores de Stalingrado, que havia ficado submerso a seis metros no fundo do rio por mais de meio século, teria suportado bem a operação.

A missão foi realizada perto da aldeia de Ukrainskaia Builovka, na região de Voronej, por especialistas do parque Patriot, militares do Distrito Militar Ocidental e mergulhadores.

Segundo o chefe do departamento de Pesquisa, Reparação e Restauração para Exposições do Parque Patriot, Anatóli Kalemberg, todos os tanques T-34 produzidos na fábrica de Stalingrado haviam sido destruídos em batalhas durante os primeiros anos da Grande Guerra Patriótica, período histórico em que a URSS lutou contra Alemanha nazista na 2ª Guerra.

Fonte: YouTube/Best News

Há duas versões, porém, sobre como o tanque T-34 teria parado no leito do rio. A primeira, comum entre moradores locais, é que as tropas soviéticas em retirada afundaram o tanque para que ele não parasse nas mãos do inimigo. No entanto, de acordo com Kalemberg, “o fato de armamento do tanque não ter sido removido fala contra esta versão”.

Já a segunda teoria, mais bem aceita entre os pesquisadores, pressupõe que o tanque estivesse se movendo ao longo de uma ponte flutuante quando caiu no rio. A proximidade entre pontões submersos, veículos de transporte e embarcações de pequeno porte em relação ao tanque no rio corroboram para a veracidade desta versão.

Ainda segundo Kalemberg, o tanque de quase 30 toneladas foi provavelmente perdido no verão de 1942, mas permaneceu em boas condições e, por isso, poderá, em breve, funcionar novamente. “Se for restaurado externamente, isso não vai ser difícil nem vai demorar muito tempo, já que permaneceu em condições muito boas”, disse. “Espero que consigamos restaurá-lo para correr de novo”.

Dados preliminares mostram também que não há munições, itens perigosos nem restos mortais da tripulação no interior do tanque.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.