Novo "Cisne Branco" promete superar bombardeiros modernos

Sanções não poderão impedir desenvolvimento de nova aeronave, segundo fonte do setor.

Sanções não poderão impedir desenvolvimento de nova aeronave, segundo fonte do setor.

Listseva Maria/TASS
Rússia anuncia novo bombardeiro estratégico supersônico com base no chassi da aeronave Tu-160. Projeto poderá ser um dos programas mais caros do Ministério da Defesa da década de 2020.

Devido à prorrogação do prazo de criação do Complexo Perspectivo de Aviação de Longo Alcance (bombardeiro estratégico da nova geração PAK DA), o Ministério da Defesa da Rússia anunciou estar decidido a construir a médio prazo um substituto para o bombardeiro soviético Tu-160.

O projeto poderá ser um dos programas mais caros do Ministério da Defesa da década de 2020, segundo fonte do complexo militar industrial que não quis ser identificada. Segundo ela, seu custo poderá se equiparar ao da construção dos novos submarinos nucleares Borei com mísseis de classe Bulava, que pode alcançar os 7 bilhões de dólares.

Russian air force Tu-160 bomber. Foto: APO clássico bombardeiro Tu-160 em voo. Foto: AP

"Ainda não sabemos até que ponto o avião será modernizado. O Ministério pode renovar apenas equipamento eletrônico e de rádio ou criar novos motores, munições, sistemas de refrigeração e navegação. O preço do projeto Tu-160M2 irá variar dependendo desses aspetos", disse a fonte.

O novo "Cisne"

Tripulação:
4 pessoas
Comprimento: 54,1 m
Altura: 13.1 m
Envergadura: 35,6m / 55,7 m
Peso: 110.000 kg
Peso máximo de decolagem: 275.000 kg
Peso de combustível: 148.000 kg
Velocidade máxima:
2200 km/h a uma altitude de 10 km;
1030 km/h a uma altitude de até 3 km;
Alcance máximo sem reabastecimento: 18.950 km
Raio de combate: 6.000 km
Teto de voo: 22 km

Conhecido como "Cisne Branco", o Tu-160, é o bombardeiro supersônico mais poderoso da história da aviação militar.

De acordo com o vice-diretor da Tupolev, Valéri Solozobov, o novo Tu-160M2 será um veículo completamente novo, embora o design do interior do novo "Cisne" deva ser mantido.

"O avião receberá equipamentos eletrônicos mais modernos e terá novos sistemas de guerra eletrônica e controle de fogo", explica Solozobov.

Segundo ele, o avião receberá equipamentos para evitar sistemas de defesa antiaérea do inimigo potencial.

Solozobov diz ainda que todos os componentes do Tu-160M2 serão fabricados por empresas russas, e que, assim, as sanções não terão efeito sobre a produção das novas aeronaves.

O primeiro voo do novo bombardeiro será realizado em 2019, e sua produção em massa começará em 2023, de acordo com o comandante-chefe das Forças Aeroespaciais da Rússia, Víktor Bôndarev. Ele ainda acrescenta que o Ministério da Defesa planeja comprar, pelo menos, 50 aviões Tu-160M2.

Os armamentos do Tu-160M2

O “avião-porta-mísseis”, como já diz a própria nomenclatura, poderá levar mísseis nucleares e convencionais, entre eles os mísseis de cruzeiro de longo alcance da nova geração X-101 e X-555, como explica fonte do complexo militar industrial que não quis ser identificada.

Além disso, o avião terá capacidade para transportar mísseis de cruzeiro X-55SM, com coordenadas para eliminar alvos terrestres.

"O Tu-160M2 poderá ser equipado com qualquer tipo de bombas nucleares e convencionais: perfuradores de blindagem e de concreto, bombas de fragmentação, minas marítimas etc. O peso total de carga pode chegar a 40 toneladas", diz.

A aeronave também terá possibilidade de atacar instalações inimigas fora da área de ataque dos sistemas de defesa antimísseis.

Outro detalhe divulgado é que o Tu-160M2 será um dos poucos aviões capazes de dar a volta à Terra com apenas dois reabastecimentos em voo.

                                                                       Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.