Identidade de comandante de tropas na Síria é revelada

Dvornikov entregou a Pútin foto tirada na Síria com mensagem de agradecimento à Rússia

Dvornikov entregou a Pútin foto tirada na Síria com mensagem de agradecimento à Rússia

Aleksêi Nikolski/RIA Nôvosti
Anúncio veio à tona dias após fim da operação militar no país. Em cerimônia no Kremlin, coronel-general Aleksandr Dvôrnikov foi condecorado com medalha de Herói da Rússia.

A identidade do oficial por trás do comando da campanha militar russa na Síria, o coronel-general Aleksandr Dvôrnikov, foi enfim revelada em entrevista ao jornal “Rossiyskaya Gazeta”, publicada na quinta-feira (24).

Segundo o jornal russo, apenas “um círculo muito restrito de pessoas” sabia que “Dvôrnikov, que acaba de ser premiado com a medalha de Herói da Rússia, havia comandado o contingente militar russo [na Síria] por quase meio ano”.

Na entrevista, o coronel-geral falou à correspondente do “Rossiyskaya Gazeta” sobre as ações do Exército russo que, segundo ele, “no curso de cinco meses e meio mudou radicalmente a situação na Síria”, e ressaltou que as forças especiais russas estavam em atividade no país.

“Eu não vou esconder o fato de que unidades das nossas forças especiais estão operando na Síria. Elas executam tarefas de reconhecimento para a aviação russa lançar seus ataques, guiam nossos aviões a alvos em regiões remotas e realizam outras missões especiais”, explicou o comandante.

Apesar de a entrevista não trazer informações diferentes sobre a operação militar na Síria em relação às declarações oficiais feitas anteriormente pelo governo russo, o jornal aponta para o fato de que, ao assumir novo status na mídia, Dvôrnikov deverá ser provavelmente nomeado para um posto mais alto nas forças armadas russas.

Dvôrnikov esteve entre os militares homenageados no Kremlin em 17 de março, após o início da retirada das tropas russas da Síria. Durante a cerimônia, o coronel recebeu das mãos do presidente russo Vladímir Pútin a medalha de ouro Herói da Rússia, a ordem mais importante do país.

“O aumento das capacidades militares das forças armadas russas nos ajudou a implantar nossas forças em territórios distantes e a utilizá-las de forma eficaz. Isso é resultado de treinamento militar intenso, da habilidade de combate das forças e do uso de tecnologia e armamentos modernos”, disse Dvôrnikov, após receber a medalha.

Ao afinal do discurso, Dvôrnikov entregou a Pútin um “souvenir” em nome de todo o contingente – uma fotografia de um telhado na Síria com mensagens de gratidão para as tropas russas. Desde então, os meios de comunicação começaram a relatar que Dvôrnikov teria sido o comandante, mas a confirmação só veio uma semana depois.

O homem de Ussurisk

As fontes públicas não dispõem de muita informação sobre a carreira militar de Dvôrnikov. No site do corpo de cadetes da Rússia, sua biografia é apresentada, como “um nativo de Ussurisk [no extremo oriente], que estudou na Escola Superior Militar de Moscou, na Academia Militar Frunze e da Academia Militar do Estado-Maior”.

Sabe-se, porém, que o batalhão de rifle motorizado comandado por Dvôrnikov foi implantado na Alemanha Oriental até as tropas russas deixarem o país, em 1994.

Entre 2000 e 2003, Dvôrnikov liderou a sede da divisão e, em seguida, assumiu o comando da divisão no distrito militar do Cáucaso do Norte.

Na segunda metade da década de 2000, comandou exércitos nos distritos militares da Sibéria e do Extremo Oriente russo. Sua posição mais recente foi como vice-comandante do distrito militar central, em Iekaterinburgo.

Ainda segundo o site do corpo de cadetes, Dvôrnikov já havia sido premiado com outras medalhas pela atuação no comando de tropas, entre elas a Medalha da Coragem.

Texto originalmente publicado pelo Gazeta.ru

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? 
Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.