Defesa receberá novo sistema de defesa antimíssil

Projeto iniciado em 2012 pressupõe instalação de três tipos de mísseis

Projeto iniciado em 2012 pressupõe instalação de três tipos de mísseis

Mikhail Metsel/TASS
Escudo inclui tecnologias modernas de radar e mísseis de intercepção. Projeto teria sido acelerado diante de avanço dos EUA no Leste Europeu.

O comandante das Forças da Defesa Aeroespacial Andrêi Tchebúrin anunciou no sábado passado (23) que, “em breve, a Rússia receberá um novo sistema de defesa antimíssil supermoderno”. Trata-se de uma versão modernizada do escudo A-135.

O desenvolvimento do novo sistema, chamado A-235, começou há alguns anos e, segundo os analistas, teria sido acelerado devido à expansão do escudo norte-americano no Leste Europeu.

O A-235 terá três tipos de mísseis: de longo alcance com ogivas nucleares, capazes de destruir alvos a 1.500 km e até 800 km de altura; de médio alcance, para atingir alvos a 1.000 km e 120 km de altura; e de curto alcance, que destruirão alvos a 350 km e até 50 km de altura.

O novo sistema inclui também os novos receptores Don-2NP, que serão futuramente substituídos pelos radares Don-2M.

Além disso, os centros de controle receberão o supercomputador Elbrus-3M, em troca do desatualizado Elbrus-2, e estarão conectados ao sistema de alerta antecipado Taiga.

As primeiras informações sobre o A-235 surgiram em 2012, quando o coronel-general das Forças de Mísseis Estratégicos, Víktor Iésin, declarou que “a pasta da Defesa começou a substituir os mísseis e outros elementos do sistema A-135, incluindo os de detecção e orientação”.

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.