S-400 após Su-24

S-400 na chegada à base aérea russa de Hmeimim, na Síria

S-400 na chegada à base aérea russa de Hmeimim, na Síria

TASS
Implantado após incidente com a Turquia, sistema de mísseis de defesa antiaérea S-400 Triunfo aumenta proteção em diversos parâmetros. Entenda como exatamente ele garante a segurança das bases russas e do céu sírio.

O sistema de mísseis de defesa antiaérea S-400 foi implantado no território da base aérea russa de Hmeimim, na Síria, após o abate do bombardeiro russo Su-24 pela Turquia.

O reforço da defesa antiaérea na base russa foi anunciado pelo ministro da Defesa, Serguêi Choigu, logo após a tragédia, e, sob determinação do presidente russo Vladímir Pútin, os S-400 foram imediatamente transferidos para a região.

Os sistemas de defesa aérea russos, agora posicionados na Síria, garantem a proteção de 20 a 400 km de distâncias, e de 3 a 30 km de altitude.

1. O que é o S-400?

O S-400 Triumf é um sistema de mísseis antiaéreos de médio e grande alcance de nova geração. Atualmente é o principal elemento do sistema de defesa aérea russa na Síria. Todo o complexo pode ser colocado em total prontidão de combate em apenas 5 a 10 minutos.

2. Qual é a capacidade de alcance do Triumf?

O sistema pode atingir aviões a uma distância de até 400 km; a uma distância de até 60 km, é capaz de alcançar alvos balísticos táticos voando até 4,8 km/s.

Considerando o raio de ação do S-400, quase todo o céu da Síria, parte da Turquia, o Chipre, o Mediterrâneo oriental e Israel estarão sob controle.

3. De onde partiu o S-400 para a Síria?

O sistema de mísseis antiaéreos S-400 foi transferido para a Síria da região de Moscou, onde estava em alerta de combate dando cobertura à capital.

4. Como a Rússia defendia sua base na Síria antes da introdução do S-400?

Antes da implantação do S-400, o sistema autopropulsado de mísseis antiaéreos Buk era o principal “guarda-chuva” que protegia os militares russos dos ataques aéreos inimigos.

Ele é capaz de alcançar alvos aéreos a uma altitude de até 25 mil metros. É projetado para destruir mísseis balísticos, bem como aviação tática e estratégica. O raio máximo de ação varia entre 3 e 40 km.

5. Como a Rússia oferece cobertura a sua base a partir do mar?

Logo depois do incidente com o Su-24 abatido, o cruzador de mísseis guiados “Moskva”, equipado com o sistema de defesa antiaérea Fort, se aproximou da costa da Síria, na cidade de Latakia, e entrou em estado de alerta para garantir a defesa antiaérea da base aérea russa.

6. E o que faz exatamente a versão naval do S-300?

Protege as linhas costeiras e os agrupamentos de navios das aeronaves que transportam mísseis antinavio, incluindo os mísseis de cruzeiro, capazes de manobrar em baixas altitudes. A distância máxima em que o Fort atinge o alvo é de 150 km, e a altitude máxima, de 30 km.

7. Quais outros recursos de defesa em terra a Rússia utiliza na Síria?

Em terra, a linha de defesa próxima ao território de Hmeimim continua recebendo cobertura dos sistemas de defesa antiaérea de mísseis e canhões Pantsir-S1.

A tarefa dos Pantsir consiste em, com seus mísseis guiados e projéteis de canhão, defender os sistemas S-400 de ataques aéreos de grande distância, bem como prontidão para proteger pequenas instalações no território da base – por exemplo, locais de descanso dos militares.

8. Como a Turquia reagiu à implantação do S-400?

A Turquia decidiu cessar os voos de sua aviação militar na Síria, onde os seus pilotos atuavam no âmbito da coalizão internacional contra o Estado Islâmico.

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.