As várias faces dos vitrais soviéticos

Legion Media; Nikolai Gálkin/TASS
Artistas criavam obras com temas realistas e ideais do sistema: Lênin, soldados do Exército Vermelho, símbolos soviéticos, trabalhadores e camponeses.

Foi apenas no final do século 19 que os vitrais se tornaram uma característica arquitetônica popular na Rússia. Ornamentos de vidro multicoloridos combinavam perfeitamente com a estética do novo estilo russo, que posteriormente se tornou parte da Art Nouveau.

As “janelas estampadas” (como eram chamados os vitrais até os anos 1900) eram feitas pelas melhores oficinas de vidro, que somavam cerca de 20.

Após a Revolução de 1917, a produção foi nacionalizada e qualquer pessoa poderia obter as peças de vidro. Na década de 1930, o interesse pelos vitrais voltou e, ao lado dos mosaicos, acabou se tornando uma das formas mais atraentes de explorar os conceitos e ideais básicos do sistema soviético.

“Paz ao povo! Poder aos soviéticos! Terra para os camponeses!”

A imagem do cartão postal abaixo é uma reprodução dos vitrais do Museu Estatal de História Política da Rússia, em São Petersburgo. Estes vitrais foram feitos na década de 1950 pelo artista Aleksandr Korolev.

Líder da revolução

Outro vitral de Korolev no Museu Estatal de História Política da Rússia.

Vitrais do metrô de Moscou

Existem 32 vitrais na estação Novoslobodskaya do metrô de Moscou.

Baseados em esboços do artista soviético Pável Korin, eles foram criados por mestres artesãos de Riga, usando vitrais retirados de catedrais católicas na Letônia.

Vitrais do Museu de Tradição Local de Temriuk

O Museu de Tradição Local da cidade de Temriuk, na região de Krasnodar, foi fundado na década de 1920. Grande parte do acervo é dedicado à Segunda Guerra Mundial, que impactou diretamente a cidade.

Os vitrais mostram um soldado do Exército Vermelho e um cavaleiro em trajes nacionais do Cáucaso.

Vitrais em uma fábrica de roupas em Novotcherkassk

Uma série de vitrais, cada um com 4 metros quadrados, foi produzida em uma fábrica de roupas em 1984 pelo artista Serguêi Aprichko.

Vitrais da Universidade Politécnica de São Petersburgo

Uma série de vitrais com temas científicos, criados nas décadas de 1980 e 1990 pelo artista Borís Beschastni, adornam a Universidade Politécnica de São Petersburgo.

A série “Quatro Estações”

A série “Quatro Estações” de vitrais dentro de uma locomotiva artisticamente reformada foi feita em 1991 por Iúri e Larissa Utenkov.

Verão

Outono

Inverno

Primavera

Encontro de heróis

O artista lituano Kazys Morkūnas recebeu o Prêmio de Estado da RSS da Lituânia por este trabalho criado em 1972. 

Originalmente ficava em um monumento do Exército soviético na cidade lituana de Kryžkalnis; no entanto, o memorial foi demolido e o vitral acabou sendo transferido para o parque privado Grūtas, da era soviética, também na Lituânia.

Manhã

Este vitral, feito de vidro espelhado, foi criado pelo artista lituano Morkūnas para a farmácia central de Moscou em 1960.

Juventude Soviética

Esta composição monumental, novamente de Morkūnas, foi destaque da decoração do estande russo na Exposição Universal de 1970 em Osaka, Japão.

LEIA TAMBÉM: As 5 ‘Bíblias’ da propaganda soviética

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies