10 obras-primas da arte esmaltada de Fabergé e outros ourives reais (FOTOS)

Museus do Kremlin de Moscou; Coleção de M. Revyakin
Os nobres russos da virada do século 20 adoravam a arte esmaltada colorida. Tanto é que não faltam exemplares desse tipo de peça nas coleções dos Museus do Kremlin de Moscou e outras instituições do país.https://russianenamel.kreml.ru/en-US

No final do século 19, o “estilo russo” virou moda entre os membros da família tsarista e nobres mais abastados. Retornando às suas raízes, muitos começaram a construir casas no estilo das câmaras de boiardos medievais e a encomendar joias com ornamentos coloridos e motivos folclóricos pitorescos. Boa parte dessas obras foi criada por joalheiros e fornecedores renomados da corte imperial, como Carl Fabergé, Pável Ovtchinnikov e Ivan Khlebnikov.

Além de metais valiosos e pedras preciosas coloridas, outro elemento-chave era a arte de esmalte aplicada ao metal. Os joalheiros russos aperfeiçoaram as técnicas de esmalte mais complexas (entre elas, cloisonné e champlevé) – às vezes, aplicando todas elas em uma única e mesma peça.

O mais famoso mestre do esmalte foi Fiódor Rückert, um artista de origem alemã. Ele foi comissionado por várias joalherias e desfrutou de um relacionamento de trabalho especialmente longo com Fabergé. Em todos os tipos de joias, ele reproduzia pinturas dos grandes mestres da época, de Viktor Vasnetsov a Konstantin Makovski.

  1. Ovo de Páscoa do “Kremlin de Moscou”. Casa Fabergé

Este ovo foi um presente de Nikolai 2º para sua esposa, a imperatriz Aleksandra Feodorovna, na Páscoa de 1906.

  1. Concha (de cozinha). Casa Fabergé
  1. Colher de sobremesa. Casa Fabergé
  1. Caixão. Casa Fabergé
  1. Caixa de joias. Casa Fabergé

Eram raros os casos em que a arte esmaltada não representava um conto de fadas ou uma cena cotidiana, mas uma batalha recente. Pintura de Vassíli Vereschaguin ‘Antes do Ataque em Plevna’ reflete os eventos durante a Guerra Russo-Turca de 1877-78.

  1. Prato de apresentação. Empresa I. Khlebnikov

Um presente para o imperador Nikolai 2º e a imperatriz Aleksandra Feodorovna, da Sociedade da Bolsa de Valores de Níjni Novgorod, 1913.

  1. Saleiro. Firma M. Lombardo
  1. Caixa. Casa Fabergé
  1. Concha (de cozinha). Casa Fabergé
  1. Caneca. Empresa I. Sazikov

A exposição “Carl Fabergé & Feodor Rückert. Obras-primas do Esmalte Russo” ficará em cartaz no Kremlin de Moscou de 9 de outubro de 2020 a 10 de janeiro de 2021.

LEIA TAMBÉM: De onde vieram os símbolos da monarquia russa?

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies