Primeira mulher maquinista da Rússia luta por igualdade de gênero com anime

Sofia Dorofeeva
Há, no país, 456 profissões estritamente proibidas para mulheres. O governo está planejando reduzir esse número para 98 em janeiro de 2021. E essa mulher assumiu uma cruzada pessoal contra as restrições restantes.

“Minha família era contra minha decisão de ser maquinista: discutimos e brigamos, mas, com o passar do tempo eles aceitaram e agora estão muito felizes com minhas conquistas”, orgulha-se Sofia Dorofeeva.

Ela se tornou a primeira mulher na Rússia a se formar como maquinista qualificada. Para ela, isso foi possível devido à mudança iminente na legislação russa, que deverá afrouxar as restrições existentes de gênero em relação ao trabalho.

Até o momento, existem 456 ocupações que as mulheres não podem, por lei, exercer profissionalmente, por serem consideradas pesadas ou altamente perigosas.

A lista, que foi aprovada pelo governo russo há cerca de 20 anos – e inclui a profissão de maquinista de trem –, deverá ser consideravelmente reduzida em janeiro de 2021.

Inspirada pela futura carreira nessa profissão dominada por homens, Dorofeeva desenha anime para descrever o seu trabalho dos sonhos, bem como a alegria e, por vezes, os medos associados a ele.

Inicialmente, os trens eram apenas tema de sua arte. Aos poucos, porém, foi percebendo que realmente gostava do romantismo das viagens de trem distantes.

Enquanto se esforçava para realizar o sonho, Sofia abriu uma conta no Instagram onde posta ilustrações semelhantes a animes, retratando-se como uma maquinista experiente e orgulhosa.

Embora tenha sido a única aluna em seu ano, Dorofeeva garante que não enfrentou nenhuma discriminação de gênero; ao invés disso, recebeu muito apoio de professores e colegas. “Na faculdade e durante o estágio, a atitude das pessoas ao meu redor era boa. Todos que me conheciam bem entendiam que eu era uma pessoa teimosa e responsável. Portanto, eles me apoiaram de todas as maneiras possíveis”, diz Sofia.

Segundo a futura maquinista, o perfil no Instagram não pressupõe nenhuma ambição artística, mas ela postará novas artes para quem possa se interessar.

“Não há nada excessivo para as mulheres no trabalho relacionado aos trens. Acho que isso [a existência de uma lista de profissões proibidas para mulheres] é injusto. Essas proibições existem devido ao preconceito ou preocupação com a saúde e reprodução das mulheres. Esta lista não tem lugar no mundo moderno, porque todos têm o direito de gerir de forma independente sua saúde, capacidades físicas e o desejo de constituir uma família”, diz Dorofeeva, acrescentando que o anime pode inspirar outras mulheres a se empenharem por carreiras que antes eram inatingíveis.

Quando as mudanças na legislação entrarem em vigor, em 2021, mulheres em toda a Rússia terão o direito a dirigir trens, navios e caminhões profissionalmente. No entanto, algumas profissões ainda não serão permitidas. Por exemplo, continua sendo proibido trabalhar em empresas onde são usados ​​produtos químicos que representem perigo para o sistema reprodutivo feminino. Além disso, as mulheres não poderão trabalhar como mineradoras e mecânicas de aviação nem poderão exercer qualquer profissão que requeira a participação direta em operações de combate a incêndios.

LEIA TAMBÉM: Rússia está tentando salvar a família tradicional. Mas será que ainda é possível?

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies