Pinturas russas explicadas: ‘Garota com pêssegos’, de Valentín Serov

Apesar da sensação positiva que esta tela absolutamente ensolarada traz, existe algo mais enclausurado por trás dela.
“Garota com pêssegos” (1881), de Valentín Seróv.

A menina da pintura é Vera Mamontova. Ela está sentada na sala de jantar da casa de campo do pai segurando alguns pêssegos. Uma cena aparentemente normal, mas há algo especial sobre esses pêssegos: eles foram cultivados na vila de Abramtsevo, na região de Moscou.

Vera Mámontova. Foto de 1888.

Abramtsevo passou a ser uma residência de arte a partir de 1870, quando foi comprada por Savva Mamontov, um rico comerciante e empresário de uma família de Velhos Crentes, além de renomado patrono das artes.

Ele convidava muitos artistas a Abramtsevo para curtir o campo, respirar a natureza e pintar. Certa manhã, Valentín Serov, de 22 anos, amigo da família e já artista renomado, viu Vera, a filha de 11 anos de idade de Savva, correr para a sala de jantar para pegar alguns pêssegos.

Durante um mês, a pobre Vera foi obrigada a posar para a pintura.

“Tudo isso porque eu me esforçava para alcançar este sentimento de frescor peculiar que sempre se sente na natureza e não se vê nas pinturas. Pintei por mais de um mês e a torturei, coitadinha, quase até a morte – eu tentava preservar a frescura da pintura até o fim, assim como os grandes mestres”, escreveu Serov.

“Garota com um ramo de bordo” (1886), retrato de Vera Mámontova pintado por Víktor Vasnetsov.

Mais tarde, em 1896, a filha de Mamontov foi retratada mais uma vez, em "Garota com um ramo de bordo", de Víktor Vasnetsov. Mas esta tela não é nem de longe tão famosa como a anterior.

Vera acabou se casando com Aleksandr Samárin, funcionário público rico e influente, além de seguidor inveterado da crença ortodoxa. Ela morreu em 1907, com apenas 32 anos, devido a uma pneumonia e foi enterrada em Abramtsevo.

O filho de Vera, o filólogo Iúri Samárin (1904 - 1965), tornou-se agente dos serviços secretos soviéticos e passou informações que levaram muitos artistas a serem presos e executados nos anos 1930.

O granadeiro de brinquedo de madeira no peitoril da janela de “Garota com pêssegos”  está até hoje no mesmo local, que tornou-se um museu (a cerca de 60 quilômetros a nordeste de Moscou).

LEIA TAMBÉM: 10 maravilhas da arte mundial que só se vê na Rússia

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies