Conheça a Rússia em seis itinerários de bicicleta

Os montes do Altai Foto: Lori/Legion Media

Os montes do Altai Foto: Lori/Legion Media

Do Altai à península de Kola, saiba como conhecer paisagens deslumbrantes do país sobre duas rodas.

A Rússia, com o seu clima, relevo irregular, estradas em mau estado e condutores impulsivos, não é o melhor país para um ciclista amador mal preparado.

Por isso, os itinerários de bicicleta são uma novidade no país, apesar de terem muita procura tanto por viajantes russos como por estrangeiros. A variedade do relevo, clima e paisagem dos percursos russos satisfaz as expetativas de vários tipos de ciclistas, seja dos radicais das BMX nas montanhas de Khibini, de grupos familiares em passeios em pelo Anel de Ouro e dos que buscam combinar a bicicleta  com passeios de canoa pela Transbaikália e descidas dos rios das montanhas da Kamchatka.


Altai

Duração média: 12 dias  

Custo: € 600

Os montes do Altai são conhecidos pelas suas vertentes abruptas, taiga intransitável, numerosos rios e lagos a elevadas altitudes, vales e meias-encostas pontilhados de monumentos arqueológicos milenares. É precisamente aqui que muitos viajantes procuram encontrar o lendário país de Shambhala e aldeias fiéis aos velhos ritos da Igreja Ortodoxa que vivem ao lado de populações pagãs nômades. Os percursos do Altai são, majoritariamente, combinados: de bicicleta, a cavalo, com descidas de rios e viagem de carros off-road.

 

Península de Kola

Península de Kola Foto: Flickr/Vlad Tuchkov

Duração média: 7 dias

Custo: € 700

Andar de bicicleta pela zona polar não costuma oferecer maiores dificuldades do que em outras regiões. Grupos de cinco a doze ciclistas percorrem cerca de 50 quilômetros por dia pelas colinas de Khibini. Praticamente toda a península de Kola fica além do Círculo Polar, na zona da tundra. Nesta região, o sol não se põe de junho a agosto. Os nômades lapões viajam por toda a península procurando musgo para os veados, fazendo sopa de carne de veado e lendo o destino pelos desenhos da aurora boreal.

 

Carélia

Carélia Foto: Photoexpress 

Duração média: 3 a 4 dias

Custo: € 400

As empresas turísticas da Carélia organizam viagens em torno do lago de Ládoga, através do istmo da Carélia. É possível visitar o parque natural e o mosteiro de Valaám, que fica numa ilha, onde há muitas capelas e recantos que raramente são pisados por turistas que se deslocam a pé. Aqui, os itinerários de bicicletas conjugam-se com viagens de barco. Na Carélia, também são muito populares as viagens de um ou dois dias para as quedas de água de Kivatch, consideradas das maiores das planícies europeias.

 

Urais

Urais Foto: Lori/Legion Media

Duração média: 13 a 15 dias

Custo: € 300 a € 800, dependendo da duração

Os percursos de bicicleta atravessam uma das zonas climáticas mais agradáveis do sul dos Urais –a Basquíria. Os passeios de bicicleta costumam ser seguidos de descidas de rios de um dia, em um catamarã. Os Urais, que constituem o sistema montanhoso mais antigo da Rússia, oferecem praticamente todas as variantes de turismo de aventura: passeios a cavalo, viagens em catamarã e canoa, itinerários de bicicletas e a pé por montes e vales.

As montanhas não são demasiado elevadas, ainda que muito rochosas. A paisagem é marcada pela taiga, pelos prados alpinos e pela tundra. É no sul dos Urais que se localiza a famosa e antiquíssima “Cidade do Sol”, Arcaim. Anualmente, milhares de turistas de todos os cantos do mundo chegam aqui para ver as escavações de uma povoação que os arqueólogos datam do segundo ou terceiro milênio a.C.

 

Baikal

Baikal Foto: Lori/Legion Media

Duração média: 7 dias

Custo: € 500

O Baikal é um o lago mais profundo e um dos mais antigos do planeta. É mundialmente conhecido pela pureza de sua água e pelo seu microclima: a taiga avizinha-se do semideserto, da tundra da estepe. Devido à particularidade do relevo das margens, no Baikal existe uma enorme variedade de percursos de bicicleta. Talvez a região mais interessante para os cicloturistas seja a das margens altas, que abrem excelentes panorâmicas para o Baikal. À volta, há pequenos lagos salgados, perdidos na imensidão da tundra ou da estepe. A maioria dos percursos termina na lendária ilha de Olkhon, no meio do Baikal, que conserva a sua natureza virgem.       

 

Anel de Ouro

Pereslavl-Zalesski Foto: Lori/Legion Media

Duração média: 11 dias

Custo: € 500

O percurso pelo Anel de Ouro –o famoso itinerário turístico pelas cidades antigas onde se erguem monumentos únicos da cultura e história russas– é um dos mais impressionantes. Geralmente, os turistas visitam Vladímir, Suzdal, Rostov, Pliós e Kostromá, Iaroslávl e Úglitch. Apesar de existirem variantes alternativas para conhecer estas cidades –ônibus ou automóvel–, a maioria prefere fazer o percurso de bicicleta. São 11 dias para cobrir entre 600 e 700 quilômetros.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.