Rússia registra primeira vacina contra covid-19 para adolescentes, a Sputnik M

Keystone Press Agency/Global Look Press
Vacina é baseada na versão para adultos e também é aplicada em duas doses.

Na última quarta-feira (24), o Ministério da Saúde da Federação Russa registrou a primeira vacina contra o coronavírus para jovens de 12 a 17 anos, a Sputnik M, chamada oficialmente de Gam-COVID-Vac M.

"Todos os estudos clínicos necessários mostraram alta segurança e eficácia da vacina Gam-COVID-Vac M. Tendo em conta a opinião positiva de especialistas, o departamento tomou a decisão de registrar a nova vacina", lê-se no comunicado do Ministério.

A vacina Gam-Covid-Vac M é baseada na vacina Sputnik V para adultos e também consiste em duas doses.

A vacina Sputnik M é composta por 1/10 ou 1/5 das doses imunizantes da vacina "adulta" Sputnik V. Segundo os cientistas, a primeira e a segunda fases de testes da vacina para adolescentes mostraram segurança e alta imunogenicidade. A terceira fase de testes clínicos da vacina Sputnik M começou em 11 de novembro.

Segundo a vice-premiê russa Tatiana Gólikova, a vacina começará a ser aplicada nos cidadãos russos até o final de dezembro de 2021.

De acordo com Aleksandr Ginsburg, diretor do Centro Gamaleya, que desenvolveu a vacina, a Sputnik M causou uma produção de anticorpos em adolescentes mais ativa que o Sputnik V original em pacientes adultos.

"O sistema imunológico das crianças responde melhor a antígenos", disse. Entre os efeitos colaterais em adolescentes, foi registrada febre de até 37,4 graus no segundo dia após a vacinação.

Segundo a legislação russa, adolescentes de 12 a 15 anos serão vacinados exclusivamente com o consentimento dos pais ou de outros representantes legais. A partir dos 15 anos, eles poderão se vacinar sem autorização de outros responsáveis.

LEIA TAMBÉM: México assina acordo com a Rússia para produção local da vacina Sputnik V

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies