Após 12 dias filmando no espaço, atriz e diretor russos retornam à Terra; veja fotos

Membro da equipe de filmagem do filme ‘Vizov’, atriz Iúlia Peresild deixando o módulo de pouso da nave Soyuz MS-18

Membro da equipe de filmagem do filme ‘Vizov’, atriz Iúlia Peresild deixando o módulo de pouso da nave Soyuz MS-18

Serguêi Savostianov/TASS
Equipe de filmagem descreveu experiência de pouco sono, mas muito trabalho e emoção, à bordo da Estação Espacial Internacional. Imagens captadas irão compor filme para telonas.

A escotilha do módulo de pouso se abre e as equipes de resgate e de solo começam a ajudar a atriz Iúlia Peresild a sair da cápsula. No assento ao lado, alegre, está o diretor Klim Chipenko. Os médicos medem seu pulso e pressão arterial. Não muito longe deles, o cosmonauta Oleg Novitski passa pelos mesmos procedimentos. E embora seja a terceira viagem de volta à Terra para Novitski, Peresild e Chipenko estiveram no espaço pela primeira vez. Além disso, eles foram a primeira atriz e diretor do mundo a viajarem para a órbita da Terra. A equipe do primeiro longa-metragem do mundo parcialmente rodado na ISS voltou ao planeta no último domingo (17), após doze dias no espaço.

“Estou um pouco tristonha hoje. Porque parecia que 12 dias era muito, mas quando tudo acabou, eu não queria voltar para casa”, disse Peresild.

Módulo de pouso da espaçonave de transporte tripulada Soyuz MS-18 durante a aterrissagem na estepe a sudeste da cidade de Jezkazgan

Peresild e Chipenko partiram para o espaço em 5 de outubro, junto com o cosmonauta Anton Chkaplerov, após realizarem quatro meses de treinamento. A bordo da ISS, filmaram partes do longa-metragem ‘Vizov’ (‘O Desafio’, em tradução livre), um projeto conjunto da Roscosmos, do Canal Um e da produtora ‘Yellow, Black and White’. ‘Vizov’ conta a história de uma médica que precisa voar à órbita para salvar um cosmonauta.

No domingo passado, a equipe de filmagem despediu-se da tripulação da ISS e fechou as escotilhas do módulo de desembarque pouco depois da meia-noite. A Soyuz MS-18 se desprendeu da estação às 04h14 (horário de Moscou) e pouco mais de três horas depois, às 07h35, tocou o solo no Cazaquistão, a 148 quilômetros da cidade de Jezkazgan.

Módulo de pouso da nave espacial tripulada de transporte Soyuz MS-18 após o pouso

A tripulação foi recebida por equipes de resgate, juntamente com o CEO da Roscosmos, Dmítri Rogôzin, e o diretor-geral do Canal Um, Konstantin Ernst.

Segundo Rogôzin, o pouso foi excelente e a tripulação estava bem. O diretor da Roscosmos também destacou que a cápsula não caiu de lado, como às vezes acontece durante o pouso. Logo após o exame médico, a tripulação recebeu suco de bétula a pedido de Novitski.

“Extremamente feliz por termos feito isso”, disse Klim Chipenko. “Estávamos como numa montanha-russa, eu acho. O plasma, tudo pegando fogo... Nos divertimos muito, na verdade. Quando o paraquedas abriu, começou a tremer um pouco, mas, novamente, nos sentimos como se estivéssemos em uma montanha-russa chique”, completou o diretor.

Membro da equipe de filmagem do filme ‘Vizov’, atriz Iúlia Peresild deixando o módulo de pouso da nave Soyuz MS-18

Iúlia Peresild também teve uma impressão vívida do pouso.

“Quando o paraquedas abriu, a cápsula girou tanto! Além de todas as sobrecargas. Nós as experimentamos antes, mas agora era um pouco diferente. Uma coisa é quando você sente tudo em simuladores, mas outra é coisa quando você está na vida real, está acontecendo contigo (...) Você está vendo que a cápsula em que está voando está pegando fogo”, disse.

Membro da equipe do filme ‘Vizov’, diretor Klim Chipenko (centro), após descida do módulo de pouso da nave Soyuz MS-18

Segundo Peresild, a sensação pós-voo foi de muito desconforto. “É como se o corpo não entendesse realmente o que aconteceu. É como o oposto da ausência de peso. Se na falta de peso você se sente uma coisa fofa, aqui tudo é muito pesado, a cabeça pesa muito, os braços, as pernas, tudo fica meio confuso”, disse a atriz em entrevista ao canal RT.

Durante o voo, a equipe teve que filmar de 35 a 40 minutos. O diretor geral do Canal Um, Konstantin Ernst, afirmou que a equipe cumpriu “120% do plano de filmagem” e que todas as imagens resultaram “cinematográficas”.

Cosmonauta Oleg Novitski (à esquerda) após aterrissagem

Peresild descreveu a filmagem como difícil. Chipenko teve que assumir as funções de cinegrafista, diretor e membro da equipe de iluminação, enquanto Iúlia se virou como maquiadora e figurinista. A atriz também admitiu que os membros da equipe de filmagem quase não dormiram durante os 12 dias de filmagem, pois tinham medo de se sentir pior nos dias seguintes e não terem tempo suficiente para filmar o material.

“Tudo estava no limite: parecia que não dava para ir mais longe, mas, com um esforço extra, tudo funcionou”, disse Peresild.

Peresild deixa autógrafo no módulo de pouso da nave Soyuz MS-18

Após o voo histórico, Peresild, junto com o ator Vladímir Machkov, também envolvido no filme, deixaram inscrições no corpo do módulo de pouso. Enquanto Iúlia escreveu “Obrigada!”, Machkov deixou um “Viva!”.

Agora, Peresild, Chipenko e Novitski estão passando pela primeira fase de reabilitação na Cidade das Estrelas, nos arredores de Moscou. Para Novitski, levará três semanas e então ele será enviado para um sanatório, já que o cosmonauta retornou à Terra após 191 dias no espaço. Para o resto da tripulação, a reabilitação levará cerca de uma semana.

Diretor-geral do Canal Um, Konstantin Ernst (ao fundo à esquerda), após pouso 

VEJA TAMBÉM: Quem é Iúlia Peresild, a primeira atriz a fazer um filme no espaço? 

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies