Rússia modernizará caças Su-30SM

Aleks Beltiukov (CC BY-SA 3.0)
A nova versão do avião de múltiplas funções desenvolvido nos anos 1990 terá novos motores, radares, bombas guiadas e mísseis.

A Forças Aéreas da Rússia pretendem modernizar caças Su-30SM, desenvolvidos no início dos anos 1990, segundo a imprensa russa. As aeronaves aprimoradas receberão a modificação CM2 "Super-Sukhoi", que inclui motores de maior manobrabilidade e radares exclusivos. O número exato de caças Su-30SM que passará por modificações será estimado nos próximos meses. As obras deverão ser concluídas até 2027.

Os cientistas russos começaram a desenvolver o plano de modernização dos Su-30SM em 2015.

Segundo especialistas militares, o comando decidiu instalar novos radares Irbis, considerados muito mais potentes que os atuais Leopard, e motores AL-41F-1C, usados hoje na construção dos caças supermanobráveis Su-35S. Comparado com o atual motor de Su-30SM, o impulso do novo motor será 16 vezes maior.

“A vida útil do novo motor, que tem o mesmo peso e tamanho, será de 4 mil horas, em vez de 2 mil horas. Equipado com sistema de ignição a plasma, o AL-41F-1C é mais econômico que o AL-31FP atualmente instalado nos Su-30SM", diz o professor da Academia das Ciências Militares, Vadim Koziúlin. 

"Com a mesma quantidade de combustível, o caça poderá ficar no ar por mais tempo. Além disso, os aviões receberão nova eletrônica de bordo, incluindo os radares e a estação de localização óptica", diz.

“O sistema de propulsão atualizado reduz o consumo de combustível e aumenta o alcance de voo. O radar moderno aumenta a capacidade de detectar e localizar as forças inimigas", completa Koziúlin.

Segundo ele, o avião também receberá novas bombas guiadas e mísseis.

O Su-30SM foi criado na base da versão de exportação Su-30MK, um modelo muito bem-sucedido no mercado internacional de armas do final do século 20. Mais de 300 aeronaves desse tipo foram entregues à Índia, Argélia e Malásia. 

LEIA TAMBÉM: Rússia funde corporações aéreas Sukhoi e MiG

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies