Cruzador nuclear russo será incrementado para se tornar navio de guerra mais poderoso do mundo

Domínio público
“Almirante Nakhimov” receberá novo armamento cuja potência excederá a do atual carro-chefe da Marinha russa, o cruzador de mísseis Piotr Veliki (Pedro, o Grande).

O cruzador de propulsão nuclear “Almirante Nakhimov” será, após sua modernização, o navio mais poderoso do mundo, segundo o jornal estatal russo Rossískaia Gazeta.

Um dos maiores cruzadores de propulsão nuclear do mundo, o Almirante Nakhimov foi construído em 1983 e, até 1992, levava o nome de “Kalinin”. O navio tem 250 metros de comprimento.

No total, entre 1980 e 1998, quatro cruzadores de mísseis atômicos do projeto “1144 Orlán” entraram para a frota russa.

Ao longo do processo de modernização, que teve início em 2013, o cruzador nuclear Almirante Nakhimov receberá o sistema de mísseis antiaéreos de longa distância S-400, bem como o sistema de médio alcance Polyment-redoute e os mísseis de cruzeiro Kalibr.

De acordo com Vladímir Spiridopulo, diretor-geral do Escritório de Projetos do Norte, responsável pelo projeto do cruzador, após concluídas as melhorias o Admiral Nakhimov será mais poderoso que o Piotr Velíki, cruzador de mísseis pesado de propulsão nuclear que é atualmente o carro-chefe da Frota do Norte.

Segundo o diretor-geral do escritório responsável pela modernização do navio, Andrêi Diatchkov, o alto potencial dos navios do “projeto 1144” e do “projeto 11442” permite equipar os navios com os armamentos mais modernos.

“Mesmo antes do início dos trabalhos de modernização já havia discussões sobre quais armamentos o Admiral Nakhimov receberia. De acordo com o Estado-Maior da Marinha, foi analisada até a opção de equipar o cruzador com o mais avançado sistema de defesa antiaérea S-500”, diz o especialista militar independente Dmítri Kornev.

LEIA TAMBÉM: Rússia cria primeiro navio de patrulha submarina para exportação

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies