Nova versão do AK-47, fuzil AK-103 é produzido sob licença na Venezuela

Assista a vídeo de treinamento com dispositivo baseado em lendária arma soviética.

Produzido tanto na Rússia como na Venezuela, o fuzil de assaltado AK-103, do Consórcio Kalashnikov, possui o mesmo calibre que o seu antecessor (7,62 mm) e surgiu em resposta ao cartucho de 5,45 x 39 (de baixo impacto) do AK-74.

Os carregadores de plástico dos russos AK-47 e AKM podem ser acoplados ao mais recente rifle, assim como do chinês Type 56 e do finlandês Rk 62.

Atualmente, Forças Armadas de apenas seis países possuem oficialmente o AK-103 – além de Rússia e Venezuela, a arma também compõe o arsenal da Índia, Líbia, Uruguai e Namíbia. No entanto, imagens  divulgadas recentemente revelaram que os novos fuzis também vem sendo utilizados por militares sauditas.

LEIA TAMBÉM: Versões obscuras da lendária AK-47 são fabricadas mundo afora

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies