Um designer, três cães e um piloto bonitão abriram caminho para o espaço

AFP
A conquista dos cosmos começou com a repressão injusta de um gênio e culminou com a heroica missão que levou o primeiro ser humano ao espaço.

Este jovem projetista de aviões, que anos depois levaria a humanidade ao espaço, foi preso aos 31 anos com base em pistas falsas e condenado a trabalho forçado em minas de ouro.

Por uma feliz coincidência, conheceu Andrêi Túpolev, o lendário engenheiro e projetista de aviões que também foi preso durante os expurgos soviéticos – e que mais tarde tornou-se o projetista geral da indústria de aviação da URSS.

O jovem engenheiro trabalhou em oficinas secretas de design e obteve resultados importantes. Stálin apreciava seus projetos, pois poderiam ser usados em campo e, em julho de 1944, ordenou que fosse libertado, embora não reabilitado oficialmente.

Este é o míssil balístico V-2, projetado pelos alemães no final da Segunda Guerra Mundial. Em agosto de 1946, o governo soviético nomeou Serguêi Koroliov como o projetista-chefe da recém-criada Oficina Especial de Design, número 1, e o incumbiu  a tarefa de projetar um míssil similar, porém de maior alcance.

Este míssil foi o sucesso revolucionário de Koroliov. Enquanto o trabalho estava em andamento, perguntou ao governo se apoiava a ideia de colocar em órbita o primeiro satélite artificial do mundo. A resposta foi positiva.

O Sputnik-1 foi o primeiro satélite artificial. Os soviéticos lançaram-no com sucesso em 4 de outubro de 1957, colocando a URSS à frente na exploração espacial.

Monumentos em homenagem a Koroliov só apareceram anos depois. Na época de maior sucesso, em 1957, seu nome era sequer divulgado.

Este é o Sputnik-2, o foguete que enviou o primeiro ser vivo ao espaço: um cachorro.

A cadela-heroína se chamava Laika. Reza a lenda que o governo soviético optou por cães, em vez de ratos e macacos, porque os cachorros seriam mais adequados para ter uma imagem de herói.

Laika foi tirada de um canil. Era um cão dócil e calmo, exatamente o que os engenheiros precisavam – eles não tinham, porém, planos de trazê-lo de volta à Terra. A cachorra morreu horas depois do lançamento devido ao calor excessivo. Sua morte causou uma onda de indignação pública, tanto na URSS como no exterior.

Estes dois cães são Belka e Strelka. Depois do experimento com Laika, os engenheiros soviéticos precisaram provar que um ser vivo poderia retornar do espaço à Terra. Em 19 de agosto de 1960, um foguete com esses dois cachorros foi lançado. Os animais ficaram muito nervosos durante a decolagem, mas se acalmaram depois de chegar à órbita da Terra e nave se estabilizar. Comeram e respiraram normalmente e retornaram com sucesso para o planeta.

Belka e Strelka possibilitaram o lançamento do primeiro ser humano ao espaço – embora os soviéticos tenham elaborado um plano muito antes. Nesta imagem, vê-se o primeiro grupo de cosmonautas treinados para o primeiro lançamento da história ao espaço; aqui, o grupo de aspirantes está acompanhado por Koroliov.

Uma comissão especial do governo selecionou Iúri Gagárin, um piloto militar com então 27 anos, para realizar a primeira missão espacial com um ser humano a bordo. Na última rodada de seleção, havia seis candidatos.

Koroliov e sua equipe tiveram que se apressar porque, segundo boatos, os norte-americanos planejavam enviar um homem ao espaço primeiro. A nave Vostok-1 foi projetada rapidamente, e alguns dos sistemas não eram totalmente seguros. Porém, o projetista-chefe, Koroliov, e Gagárin assumiram o risco.

Em 12 de abril de 1961, o mundo todo prendeu a respiração enquanto a espaçonave Vostok-1 decolava do Cosmódromo de Baikonur, no Afeganistão. O primeiro voo de um ser humano para o espaço durou 108 minutos, retornando com sucesso à Terra, apesar de uma série de emergências durante o pouso.

Depois de retornar à Terra, Gagárin se tornou mais do que uma celebridade internacional – virou um herói. Seu sorriso carismático tornou-se um símbolo do triunfo e das conquistas da humanidade. Em 1961, ele abriu para o espaço.

Apesar da viagem histórica de Gagárin, a União Soviética jamais enviou cosmonautas à Lua. Sabe por quê? Veja aqui.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? 
Clique 
aqui para assinar nossa newsletter.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies