‘Cemitérios de tanques’ estimulam venda de veículos militares para fins civis

A Rússia herdou milhares de tanques e veículos militares da União Soviética. Desatualizados, esses ferros-velhos da Guerra Fria vêm se acumulando em armazéns por todo o país e tornando-se um problema para as autoridades locais.

Reciclar equipamentos militares desatualizados é uma tarefa importante para as Forças Armadas russas. Isso porque os vários depósitos de equipamentos militares abandonados recebem regularmente novos exemplares obsoletos.

Muitas vezes, esses “cemitérios de tanques” são mantidos sem qualquer supervisão. Houve até casos em que colhedores de cogumelos encontraram sistemas S-200 SAM abandonados em florestas da região de Moscou.

A melhor alternativa para o Ministério da russo desovar esses equipamentos desatualizados tem sido organizar leilões especiais onde os veículos descartados podem ser comprados por indivíduos ou organizações de qualquer tipo.

Os equipamentos militares à venda passam, entretanto, por um processo anterior de desmilitarização: todas as armas, dispositivos e hardware são, assim, removidos.

Também há casos em que um tanque ou veículo militar é descartado antes mesmo de ter a chance de entrar em serviço, sendo literalmente zero quilômetro.

Alguns desses equipamentos já começaram a exercer funções civis. Os tanques, por exemplo, podem ser usados para combater incêndios em condições difíceis, e como transportadores blindados de pessoal (para geólogos e adeptos de esportes radicais).

Outros equipamentos foram transferidos para instalações de manutenção e conserto, onde são cortados em pedaços – peças úteis são mantidas, e outras, viram sucata.

A terceira alternativa para veículos abandonados é ir para em um “cemitério de tanques” e esperar até que seja reciclado, ou apodreça devido a chuva e neve.

A Rússia não é o único país que enfrenta problemas com o acúmulo de veículos militares desatualizados. Um dos maiores “cemitérios” do tipo está localizado perto da cidade italiana de Vercelli; há outro na base aérea de Davis-Monthan, no Arizona, onde está situado um dos maiores depósitos de caças de combate obsoletos.

O Ministério da Defesa russo está atento, entretanto, para não repetir os erros do passado. Atualmente, a pasta negocia com os desenvolvedores de armas para que os fabricantes se comprometam a realizar a manutenção de equipamentos durante todo o ciclo de vida dos veículos, incluindo a reciclagem após descarte.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Leia mais