A pistola de Kalashnikov que nunca chegou ao Exército Vermelho; veja fotos

Consórcio Kalashnikov
Mikhail Kalashnikov estava tão ocupado projetando o fuzil de assalto AK-47 que outro projeto seu – uma pistola totalmente automática – foi colocado na geladeira. Depois da Segunda Guerra Mundial, o modelo adiado acabou perdendo para outro mais moderno.

O modelo de pistola totalmente automática programado para os oficiais do Exército Vermelho tinha coldre de madeira e carregador de 20 rodadas com cartucho de 9 x 18mm – bem parecida com a pistola automática Stechkin, que venceu nos testes.

A criação de Mikhail Kalashnikov pesava 1,7 quilo, e seu coldre de madeira tinha dupla função: era também um ferrolho rebocável para disparar com maior precisão. Suas características principais eram o gatilho de ação simples e o fato de poder funcionar como uma pistola semi ou totalmente automática com cadência de tiro extremamente alta.

No entanto, como Kalashnikov estava embrenhado na criação do icônico rifle de assalto AK-47 no final dos anos 1940, o projeto da pistola foi colocado na geladeira, e o outro modelo já mencionada, de Igor Stechkin, acabou sendo adotado pelo Exército no lugar.

Hoje existem alguns poucos exemplares de pistolas automáticas de Kalashnikov, que podem ser observadas na cidade de Ijevsk, onde ficam as instalações da fabricante.

A criação de Stechkin, por sua vez, começou a ser usada pelos militares em 1951: duas variantes foram produzidas na Rússia por 40 anos até o fim da Guerra do Afeganistão.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Leia mais