Aplicativo Telegram recebe multa, mas alega que correio ‘atrasou a notificação’

Personagem caracterizado de Homunculus loxodontus, ou o 'Esperador', em posto de correio na Rússia

Personagem caracterizado de Homunculus loxodontus, ou o 'Esperador', em posto de correio na Rússia

Dmitry Serebryakov
O serviço de segurança da Rússia puniu o Telegram por não cumprir uma ordem estabelecida. Aplicativo, porém, alega que culpa é do serviço de correios da Rússia.

Um tribunal de Moscou sentenciou, no último dia 16, o serviço de mensagens instantâneas Telegram a pagar uma multa de 800 mil rublos (R$ 45.000) por não cumprir a ordem de fornecer acesso aos bate-papos de usuários solicitados pelo Serviço Federal de Segurança da Rússia (FSB). O aplicativo alega, porém, que o comunicado não “chegou a tempo” por falha do Pochta Rossii (Correio Russo).

O apelo à empresa foi feito em 19 de julho, mas chegou ao escritório do Telegram, em Londres, somente em 21 de julho.

A lentidão do Pochta Rossii é motivo de piada constante na Rússia, mas esta foi, provavelmente, a primeira vez que o FSB acabou sendo afetado por sua ineficiência.

O fundador do Telegram, Pável Durov, afirmou anteriormente que não fornecerá acesso aos chats a terceiros, citando uma cláusula na Constituição russa segundo à qual todos têm direito a correspondência privada. Mas o FSB solicitou os dados com base em uma nova lei que justifica o envolvimento do Estado com dados de serviços de mensagens e redes sociais sob o pretexto de operações antiterroristas.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies