Como a Rússia ajuda a Boeing e a Airbus a desenvolver aviões

O avião de passageiros de longo alcance Airbus A350 XWB.

O avião de passageiros de longo alcance Airbus A350 XWB.

Vladímir Pêsnia / RIA Nôvosti
Centros de engenharia das marcas na Rússia contribuíram para a construção de diversas aeronaves de passageiros, como o último Boeing 787 Dreamliner e o A350 XWB.

No início de agosto, a nova aeronave Boeing 787-10 percorreu os céus dos Estados Unidos formando um enorme desenho de si própria em um teste de resistência para seu novo motor Rolls-Royce Trent 1000.

O que pouca gente sabe, porém, é que boa parte das características da nova aeronave foram desenvolvidas por engenheiros russos em Moscou, apesar de a companhia ser norte-americana. 

O desenho de um avião aparece sobre o mapa dos Estados Unidos em trajeto percorrido pelo Boeing Dreamliner 787-8./ Foto: ReutersO desenho de um avião aparece sobre o mapa dos Estados Unidos em trajeto percorrido pelo Boeing Dreamliner 787-8./ Foto: Reuters

A seção do nariz, componentes internos, instalações de sistemas (como o sistema de controle de ambiente, de combustível, elétrico e hidráulico), pilones, ala para articulação do corpo e superfície de controle da asa do 787 foram desenhados pelos engenheiros da subsidiária da Boeing na Rússia, a Boeing Design Center, que emprega 1.200 engenheiros aeroespaciais.

Maior estrutura da companhia fora dos EUA, o centro participou do desenvolvimento de centenas de outros projetos, como o 767-200SF, o 747-400BCF, o 737-900ER, o 777-300ER/200LR, o 747-400LCF, o 747-8F/-8I e o 787-8/9/10 Dreamliner

As contribuições russas também foram fundamentais para a fuselagem, interior e design dos sistemas do 747-400 BCF, do 777-200LR e do 777-300ER, assim como o design do 747 LCF (Large Cargo Freighter).

Atualmente, o centro trabalha nas estruturas primárias de fuselagem e nas bordas laterais e arrasto para a futura série 777X.O Boeign 747-400 modificado da Virgin Orbit, Cosmic Girl / Foto: Bob Riha, Jr. / Getty ImagesO Boeign 747-400 modificado da Virgin Orbit, Cosmic Girl / Foto: Bob Riha, Jr. / Getty Images

Outra fabricante de aeronaves comerciais que se beneficia de ter um centro de engenharia em Moscou é a europeia Airbus.

Fundado em 2003 como uma junção da Airbus e da KASKOL Group (mais tarde, com a adição também da AFK Sistema), o Centro de Engenharia Airbus na Rússia é o primeiro da empresa fora da União Europeia.

“Então, a Airbus estava ávida por estabelecer laços com os fabricantes russos e a criação do centro foi o modo encontrado para isso. No final, optou-se pela produção de alguns dos componentes dos aviões da Airbus na Rússia”, explica o diretor-geral do centro da Airbus, Aleksandr Kireitsev.

De lá para cá, a Airbus passou a trabalhar com empresas russas como a construtora de aviões Irkut Corporation, a fabricante de peças Hydromash e a fabricante de titânio VSMPO-Avisma – que também colabora com a Boeing.

A joint venture da VSMPO-Avisma com a Boeing nos Urais atualmente faz a forja das séries 737, 777 e 787 da fabricantes de aeronaves e, em dezembro de 2016, as companhias fecharam um acordo para a construção de uma segunda planta na Zona Econômica Especial do Vale do Titânio, que será inaugurada em 2018.

A Ural Boeing Manufacturing, joint venture da Boeing com a VSMPO-Avisma Corporation na cidade de Vérkhniaia Salda, região de Sverdlovsk. / Foto: Pável Lisitsin / RIA NôvostiA Ural Boeing Manufacturing, joint venture da Boeing com a VSMPO-Avisma Corporation na cidade de Vérkhniaia Salda, região de Sverdlovsk. / Foto: Pável Lisitsin / RIA Nôvosti

“Hoje, mais de 4.000 aviões voam pelos céus com nosso design. Também fazemos diversos projetos para companhias de outros setores, entre eles, de energia nuclear, ferroviáro e de engenharia mecânica”, diz Kireistsev, do centro da Airbus.

Na entidade, especialistas russos contribuíram com a construção de aeronaves Airbus de todas as séries, entre elas a A320/A319/A321 serial, a, A320/A319/A321 Sharklet, a A320/A319/A321neo, a A321 Cabin Flex, a A330-200/300 serial, a A330-200 GMF, a A330neo, a A350XWB-900, a A350XWB-1000 e a A380.

Mais de 120 projetos foram realizados e, segundo Kireitsev, 80% do trabalho de engenharia de estruturas do novo A330-200 GMF (General Market Fighter) também foi realizado pelos engenheiros do centro. 

O avião de passageiros de longo alcance Airbus A350 XWB. / Foto: Vladímir Pêsnia / RIA NôvostiO avião de passageiros de longo alcance Airbus A350 XWB. / Foto: Vladímir Pêsnia / RIA Nôvosti

O novo jato de passageiros A350 XWB (eXtra Wide Body), principal concorrente do Boeing Dreamliner, também teve participação do centro na Rússia desde o início.

“Trabalhamos na integração das seções traseiras da fuselagem, desenvovlemos os módulos para sistemas de fixação e bagageiros, interior e outras características menores do avião”, disse Kireitsev à Gazeta Russa.

De acordo com ele, a equipe russa dez inventou diversos dispositivos e foi aclamada com prêmios dos gerentes da Airbus. Infelizmente para a indústria aérea russa, todas as patentes foram registradas, obviamente, pela companhia europeia.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.