Tabela periódica ganha elemento com nome dedicado a Moscou

Novos elementos completam a sétima linha horizontal da tabela periódica

Novos elementos completam a sétima linha horizontal da tabela periódica

Stanislav Krasilnikov/TASS
Moscouvium (115) foi o nome sugerido por cientistas para um dos quatro novos elementos anunciados no início do ano. Decisão foi tomada após cinco meses de consulta pública.

A Iupac (União Internacional de Química Pura e Aplicada, na sigla em inglês) acrescentou oficialmente quatro novos elementos à tabela periódica de Mendeleev, incluindo o moscouvium, que recebeu este nome em homenagem à região de Moscou.

“Em 28 de novembro de 2016, a Iupac aprovou o nome e os símbolos de quatro elementos: nihonium (Nh), moscovium (Mc), tennessine (Ts) e oganesson (Og), nas posições 113, 115, 117 e 118, respectivamente”, lê-se em documento divulgado pela organização.

“Após um período de 5 meses, os nomes anteriormente propostos pelos descobridores foram aprovados pela mesa da Iupac”, continua a nota.

moscouvium (símbolo Mc), que denota o elemento de número atômico 115, foi descoberto no Instituto Conjunto de Pesquisa Nuclear, nos arredores da capital russa.

Os cientistas propuseram este nome conforme as orientações da Iupac, que estipulavam cinco categorias: um conceito ou personagem mitológico; uma substância mineral; um lugar; uma propriedade do elemento; ou o nome de um cientista.

Os outros três novos elementos são nihonium (113), tennessine (117) e oganesson (118). O último é uma homenagem ao professor de física nuclear russo Iúri Oganessian, que comandou o laboratório onde a descoberta foi feita.

Nihonium faz referência a Nihon (a terra do sol nascente), um dos nomes para o Japão, e o tennessine homenageia o Estado norte-americano do Tennessee, em reconhecimento à contribuição do Oak Ridge National Laboratory e da Universidade Vanderbilt.

Os quatro nomes propostos foram revisados pela divisão de química inorgânica da Iupac e ficaram sujeitos a consulta pública até 8 de novembro, data em que foi tomada a decisão final pelo conselho da união internacional. 

Gostaria de receber as principais notícias sobre a Rússia no seu e-mail?  
Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.