De cadeira de rodas a esteiras, empresas investem em reabilitação de cães

Adaptação às proteses é maior desafio em relação a cães

Adaptação às proteses é maior desafio em relação a cães

Divulgação
Antes importados da Europa, próteses e equipamentos para cachorros com deficiência ganham roupagem nacional e miram mercado global.

No ano passado, uma fábrica de próteses em Iekaterinburgo, a quarta maior da Rússia, especializa em produtos ortopédicos para humanos lançou uma nova linha para animais. O primeiro cliente foi Masiania, um cachorro que perdera uma pata frontal.

O dono de Masiania havia visitado muitas clínicas em diversas regiões do país, mas ninguém havia sido capaz de ajudá-lo. Quando ele finalmente recorreu aos especialistas da fábrica siberiana, surgiu a ideia – produzir próteses para cachorros com deficiência física.

“Fabricar próteses para animais não é diferente de produzi-las para humanos”, diz Elena Kitaeva, gerente do departamento de ortopedia animal na Empresa Ortopédica-Protética de Iekaterinburgo.

“Elas [próteses] são fabricadas usando os mesmos materiais e personalizadas para cada paciente. A única diferença é que, ao testar a prótese, uma pessoa pode dizer se sente desconfortável, o que não é possível para os animais. É por isso que se torna uma desafio ainda maior para nós”, continua Kitaeva.

A empresa possui uma área especial, com entrada separada, para cachorros e seus donos. O gesso que imobiliza a região afetada é removido para que as próteses sejam testadas e ajustadas, enquanto o proprietário passa por uma consulta.

Há muitos encomendas de próteses, e não só da Rússia, mas também a partir de países vizinhos, segundo a gestora.

“Mas, infelizmente, nem todos os animais podem receber ajuda. As próteses são feitas apenas se o animal for saudável, tiver pelo menos metade do membro em questão, e se o dono trouxer o animal para Iekaterinburgo”, diz Kitaeva.

Entre os outros produtos de destaque fabricados pela empresa está uma cinta que mantém o pescoço e a cabeça do cão na posição correta após lesões e doenças.

Cadeira de rodas

Cadeiras de rodas oferecem mobilidade a cães cujas pernas traseiras estão quebradas ou inoperantes. Atualmente, apenas especialistas e empresas privadas fabricam esse tipo de produto no país.

A moscovita Animal Mobile, porém, produz não só cadeiras com duas rodas para as pernas traseiras, mas também com quatro rodas no caso de animais em que todas as patas já não funcionam mais.

“Nossas cadeiras de rodas foram desenvolvidas por engenheiros da velha escola soviética que poderiam construir uma nave espacial a partir do nada”, explica a diretora da Animal Mobile, Gulnara Odjkha.

“Elas foram concebidas em parceria com cirurgiões veterinários e são feitas de aço, ao contrário da maioria dos modelos equivalentes russos e estrangeiros. Isso torna a nossa cadeira mais leve e resistente”, acrescenta Odjkha.

Além de proporcionar ao cão uma vida normal – andar, correr e se locomover –, as cadeiras de roda podem ajudar os animais a se recuperar por completo, garantem os especialistas da empresa.

“Meu cachorro ficou animado, alegre e forte, e suas patas traseiras mantiveram certa mobilidade. Ele até começou a sacudir as pernas durante o sono”, comenta um dono cujo cão utiliza a cadeira de rodas há poucos meses.

Esteira na água

Uma das maiores novidades russas em termos de reabilitação é uma esteira na água para cães da empresa Fit4Pet, que os ajuda a recuperar a mobilidade após cirurgias, além de manter a forma e aumentar a resistência.

Esteira pode ser útil para resistência e recuperação em caso de acidentes Foto: DivulgaçãoEsteira pode ser útil para resistência e recuperação em caso de acidentes Foto: Divulgação

“Os desenvolvedores trabalharam com os principais veterinários de reabilitação e médicos esportivos que têm experiência com equipamentos europeus”, diz o diretor-executivo da Fit4Pet, Aleksêi Mokhnátkin.

“Levamos em conta as recomendações médicas e soluções que os equipamentos existentes ainda não oferecem”, acrescenta o empresário.

O dispositivo russo também é marcado por maior conforto e segurança, segundo os desenvolvedores. Isso porque a água entra na esteira mais rápido que seus concorrentes e quase silenciosamente para não aumentar o nível de estresse do cão.

“O médico ou adestrador pode permanecer perto do animal que está no tanque, o que é particularmente importante para pacientes mais pesados”, explica Mokhnátkin.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail?
Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.