“Golfinhês” ajudará na comunicação com extraterrestres

Golfinhos sabem conversar sem interromper uns aos outros, segundo estudo

Golfinhos sabem conversar sem interromper uns aos outros, segundo estudo

Vostock-Photo
Conversa entre golfinhos foi gravada e decifrada por cientistas da Crimeia. Novos equipamentos poderão permitir que humanos interajam com outros animais.

Cientistas da Reserva Natural Karadagski, na Crimeia, conseguiram identificar palavras e frases aleatórias na fala de golfinhos, e especulam que essa nova pesquisa possa ser capaz de ajudar os seres humanos a se comunicar com extraterrestres.

“A pesquisa mostra quais dos sinais acústicos do golfinho representam uma linguagem coloquial desenvolvida”, explica o diretor do estudo, Viatcheslav Riabov.

“O estudo da língua dos golfinhos também poderá nos ajudar a comunicar com civilizações extraterrestres e até mesmo outros animais”, acrescenta.

Os seres humanos só conseguem ouvir o som emitido por golfinhos graças à ajuda de tecnologias modernas, entre elas um microfone subaquático especial que ajuda os especialistas a detectar e analisar a linguagem desses animais.

O objetivo, segundo Riabov, é criar agora um dispositivo que permita não só ouvir e compreender golfinhos, mas também se comunicar com eles.

Papo mais denso

Durante o experimento, o grupo de cientistas trabalhou com dois golfinhos do mar Negro (Iacha e Iana), cujas conversas foram gravadas e decodificadas.

Os sons que um golfinho emite se diferem dos produzidos por outros animais da espécie sobretudo no espectro e na frequência de impulsos não coerentes. Além disso, uma vez que a série de combinações de som não se repete, os cientistas concluíram que cada um desses impulsos é um fonema separado.

O estudo revelou ainda que os golfinhos sabem conversar sem interromper uns aos outros, e essas trocas de informações são semelhantes aos bate-papos entre humanos.

No entanto, o volume de informações repassado pelos golfinhos seria 20 vezes maior do que o transmitido por pessoas, o que torna a comunicação deles mais informativa.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail?
Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.