Tecnologia permite que cães respirem debaixo d'água

Testes com cachorros só foram realizados após experimentos com ratos e pequenos animais

Testes com cachorros só foram realizados após experimentos com ratos e pequenos animais

Panthermedia / Vostock-photo
Método possibilita respirar debaixo d'água durante meia hora, em profundidades de até 500m, e será usado futuramente no resgate de tripulações de submarinos.

Cientistas russos começaram a testar em cães uma tecnologia de respiração que faz uso de um líquido saturado de oxigênio. O procedimento, desenvolvido pelo Instituto de Pesquisa Científica de Medicina do Trabalho da Rússia, servirá para resgatar a tripulação de submarinos em grandes profundidades.  

A técnica consiste em preencher os pulmões com um líquido especial que libera oxigênio na circulação sanguínea. 

“Nos testes, colocamos um dachshund com o focinho virado para baixo em um grande recipiente de vidro com água. Pensei: para que ficar judiando do animal, ele vai acabar se afogando agora. Mas nada disso. Ele permaneceu debaixo d’água durante 15 minutos”, disse ao jornal “Rossiyskaya Gazeta” o cientista Ígor Tcherniak, que presenciou o experimento.

“Quando foi retirado, ele estava um pouco abatido, disseram que era devido à hipotermia, mas, depois de alguns minutos, recuperou-se completamente”, acrescentou o especialista.

Para conduzir o experimento, no entanto, foram criadas para os animais câmaras hidráulicas especiais de alta pressão. 

“Na etapa atual, os cães podem ficar debaixo d’água durante meia hora, a uma profundidade de até 500 metros. Todos os animais permanecem saudáveis e toleram bem a imersão”, explica Vitáli Davidov, diretor-geral adjunto da Fundação de Pesquisa Avançada, organização responsável pelo financiamento do projeto.

Apesar do sucesso dos testes, alguns questões continuam a desafiar os pesquisadores, entre elas a busca por uma fórmula adequada para o líquido, a determinação de como introduzir e retirá-lo do organismo. A principal dificuldade, porém, está na superação psicológica, pois, para respirar debaixo d'água, é preciso inspirar o líquido voluntariamente.

A expectativa é que futuramente a tecnologia permita aos submarinistas subir rapidamente para a superfície sem gerar problemas relacionados à descompressão. A tecnologia poderá ser utilizada também por pilotos e astronautas.

Com materiais da agência de notícias TASS e do jornal Rossiyskaya Gazeta

Gostaria de receber as principais notícias sobre a Rússia no seu e-mail?      
Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.