Moscou ganhará linha circular de trem a partir de setembro

Anel receberá até 300 milhões de passageiros por ano

Anel receberá até 300 milhões de passageiros por ano

Maksim Blinov/RIA Nôvosti
Transporte público permitirá reduzir tempo médio de viagem em 20 minutos e incluirá inúmeras conveniências, como acesso gratuito a rede Wi-Fi e espaço para bicicletas.

Uma nova linha circular de trem, chamada Anel Central de Moscou, será inaugurada em 10 de setembro na capital russa. Os novos vagões poderão transportar até 400 mil passageiros por dia, diminuindo em 15%  o volume de pessoas no metrô e reduzindo em 20 minutos o tempo médio de locomoção pela cidade.

Os trens escolhidos para circular pela nova linha serão os modelos Lastochka, fabricados exclusivamente pela alemã Siemens para as ferrovias russas, e que já foram usados durante os Jogos Olímpicos de Inverno de 2014, em Sôtchi.

Segundo os planos da prefeitura, cerca de 130 Lastochkas rodarão pelos trilhos da capital diariamente. Cada trem será constituído de cinco vagões, com capacidade total de 1.250 passageiros.

O tamanho dos vagões será maior do que os de metrô, porém com menos assentos para acomodar outros serviços. Além disso, todos os veículos terão Wi-Fi a bordo, tomadas, controle de temperatura, telas e espaço para carrinhos de bebê e bicicletas.

Mais espaço e agilidade são promessas de novo meio de transporte Foto: Serguêi Savostianov/TASSMais espaço e agilidade são promessas de novo meio de transporte Foto: Serguêi Savostianov/TASS

No total, a linha do Anel Central de Moscou terá 31 estações, todas conectadas com outros transportes terrestres. Dezessete delas terão ainda ligação direta com metrô.

Projeto imperial

A ideia de construir a linha circular não é nova, contudo. O projeto tem mais de um século e foi proposto pela primeira vez pelo então ministro das Finanças do Império Russo, Serguêi Witte.

No final de 1897, o tsar Nicolai 2º ordenou, em um Conselho Extraordinário, o início da construção da Pequena Linha Ferroviária Circular, cuja obra começou em 1903.

As estações foram desenhadas em estilo modernista: as telhas foram comprados em Varsóvia, enquanto os relógios eram da famoso marca suíça Pavel Bure.

Anel Central em 1939 Foto: Anatóli Garanin/RIA NôvostiAnel Central em 1939 Foto: Anatóli Garanin/RIA Nôvosti

No entanto, apesar da expectativa, o alto custo dos bilhetes reduziu consideravelmente o fluxo de passageiros. A política de preços foi então revista e, em 1917, o Anel Central de Moscou transportava diversos trabalhadores e funcionários pela cidade.

Após a década de 1920, quando os bairros pelos quais passava o anel rodoviário começaram a ganhar linhas de ônibus e bonde, foi proibido o tráfego de passageiros pelo anel, e as ferrovias passaram a ser usadas apenas para transporte de mercadorias.

A ideia de que o Anel Central de Moscou voltasse a ser um meio de transporte urbano foi discutida diversas vezes durante o regime soviético, mas o enorme tráfego de mercadorias e as particularidades de sua construção não permitiam acrescentar a essa linha vagões de passageiros de forma rápida e fácil.

Foi somente em 2011 que o governo de Moscou aprovou o novo projeto de integração da linha circular de trem à rede de transportes da cidade.

Soldados do Exército Vermelho utilizam linha para seguir ao fronte, em 1941 Foto: Arkádi ChaikhetSoldados do Exército Vermelho utilizam linha para seguir ao fronte, em 1941 Foto: Arkádi Chaikhet

Gostaria de receber as principais notícias sobre a Rússia no seu e-mail?      
Clique aqui para assinar nossa newsletter.

 

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.