Roscosmos confirma negociações com Austrália sobre venda do Sea Launch

Venda para base estrangeira é saída para dar continuidade ao projeto russo

Venda para base estrangeira é saída para dar continuidade ao projeto russo

TASS
Projeto de lançamento a partir de plataforma marítima já foi sondado por Brasil. Segundo agência russa, investidores e parceiros serão conhecidos em alguns meses.

A agência espacial russa Roscosmos tem mantido conversações com investidores australianos para a venda do Sea Launch, projeto internacional que pressupõe o lançamento de foguetes a partir de uma plataforma marítima.

“Nós consideramos várias propostas em relação a este projeto. A corporação de foguetes espaciais Enérguia manteve conversações com vários investidores, incluindo australianos. Eu acredito que os parceiros e compradores deste projeto serão identificados dentro de alguns meses”, declarou o diretor da Roscosmos, Ígor Komarov.

Em junho de 2015, Komarov declarou que também não excluía a possibilidade de a base da plataforma de lançamentos marítimos Odyssey e o navio de comando do Sea Launch virem a ser transferidos de Long Beach, na Califórnia, para um porto brasileiro.

“Não descarto a possibilidade de considerar também este projeto com parceiros no Brasil”, disse Komarov, em uma entrevista concedida à agência de notícias TASS durante o Fórum Econômico de São Petersburgo (Spief-2015).

Para a implementação do Sea Launch, as empresas norte-americana Boeing e russa RKK Enérguia, a companhia de construção naval norueguesa Kvaerner (atual Aker Solutions), e as corporações ucranianas Iujnoie e Iujmash fundaram, em 1995, uma empresa homônima, que declarou falência em 2009.

No processo de reorganização do projeto, a RKK Enérguia assumiu o controle dos trabalhos em 2010. Em agosto de 2014, após os desenvolvimentos na Ucrânia, a corporação russa anunciou a suspensão de suas atividades.

Com material da agência de notícias Tass

Gostaria de receber as principais notícias sobre a Rússia no seu e-mail?  
Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.