Vacina russa para ebola é aprovada em primeira fase de testes

Vírus ebola pode matar até 90% das pessoas contaminadas, segundo a OMS

Vírus ebola pode matar até 90% das pessoas contaminadas, segundo a OMS

Serguêi Konkov/TASS
Substância está sendo avaliada agora pelo Ministério da Saúde da Rússia, para depois entrar em um novo estágio de ensaios.

Uma nova vacina que protege contra a doença do vírus ebola desenvolvida na Rússia foi submetida com êxito à primeira fase de testes clínicos, informou o centro de pesquisa de virologia e biotecnologia Vector, onde os estudos estão sendo realizados.

“A primeira fase de testes clínicos foi concluída. Ela está agora em aprovação no Ministério da Saúde da Rússia. Estamos esperando pela segunda fase”, disse Valéri Mikheiev, diretor-geral do centro, nos bastidores do Fórum Internacional sobre Desenvolvimento Tecnológico - Technoprom-2016, que teve início nesta quinta-feira (9) em Novosibirsk.

A Rússia anunciou em janeiro o desenvolvimento da nova vacina anti-ebola, vírus que causa graves doenças e tem taxa de mortalidade de até 90%, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS).

De acordo com os dados da organização, a mais recente epidemia do vírus ebola, que durou até janeiro deste ano, ocasionou a morte de mais de 11.300 pessoas na África Ocidental, principalmente na Guiné, Serra Leoa e Libéria. Estima-se que, no total, cerca de 28.600 tenham sido infectadas.

Publicado originalmente pela agência de notícias Tass

Gostaria de receber as principais notícias sobre a Rússia no seu e-mail?  
Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.