Nova tecnologia transforma vidro em ‘pen drive imortal’

Capacidade de suportar impacto também é vantagem do ‘pen drive de quartzo’

Capacidade de suportar impacto também é vantagem do ‘pen drive de quartzo’

JJ Harrison
Do tamanho de uma moeda, dispositivos de quartzo armazenam vários terabytes e prometem imortalidade aos dados digitais. Ainda não há previsão de lançamento.

Uma nova tecnologia de armazenamento de dados digitais 5D permite que o vidro de quartzo armazene informações por milhões de anos. A técnica é desenvolvida por cientistas da Universidade Estatal de Tecnologia Química Mendeleev, em Moscou.

“A informação é gravada em vidro e é lida com a ajuda de um laser”, contou à Gazeta Russa o chefe do projeto, Piotr Khenkin. “A tecnologia é semelhante à utilizada em CDs e DVDs. A quantidade de dados armazenada depende do tamanho do disco.”

Os novos dispositivos de armazenamento de dados feitos de quartzo de vidro têm o tamanho e a forma de uma moeda ou um pequeno disco. Segundo Khenkin, porém, cada “moeda de quartzo será suficiente para armazenar vários terabytes de dados”.

Foto: Press PhotoPrecisão dos feixes para leitura ainda dificulta trabalho dos cientistas Foto: Press Photo

Outra vantagem desse dispositivo é sua capacidade de suportar impactos externos adversos. Os ‘pen drives de quartzo’ poderão ser particularmente úteis para arquivos estatais e empresas da indústria de defesa”, diz Khenkin.

Embora os primeiros experimentos de laboratório tenham mostrado resultado positivo, deve demorar para que a tecnologia seja produzida em massa.

“Até agora foram desenvolvidos projetos para captura e gravação automática de dados. Mas é preciso desenvolvê-los mais antes que se tornem disponíveis para o público em geral”, afirma Khenkin.

O principal obstáculo dos cientistas atualmente é a necessidade de garantir a precisão dos feixes de laser. Pesquisas semelhantes estão sendo conduzidas no Japão e no Reino Unido.

Gostaria de receber as principais notícias sobre a Rússia no seu e-mail? 
Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.