Novo método permite gerar combustível por fotossíntese

Fotossíntese permite transformar luz em energia com aproveitamento de 90%

Fotossíntese permite transformar luz em energia com aproveitamento de 90%

ShutterStock/Legion-Media
Com a ajuda de um grupo internacional, cientistas russos desenvolveram método para gerar combustível por fotossíntese, tendo como base a produção de energia pelas plantas. Descoberta poderá acabar com dependência do petróleo, dizem pesquisadores.

Embora o orçamento da Rússia seja altamente dependente das receitas de exportações de petróleo e gás, os cientistas de um Instituto Timiriazev de Fisiologia Vegetal da Academia Russa de Ciências, em Moscou, estão tentando criar uma fonte alternativa e renovável de energia. 

Juntamente com especialistas da Alemanha, da Nova Zelândia, do Canadá e do Irã, os pesquisadores de Moscou estão trabalhando em um novo método que poderá ajudar a humanidade a acabar com a dependência de combustíveis fósseis.

Os cientistas já encontraram um catalisador capaz de dividir a água em oxigênio e hidrogênio da mesma maneira as plantas fazem no processo da fotossíntese. O catalisador identificado é um composto de manganês, sendo ideal para a fotossíntese artificial já que ocorre naturalmente.

Com a recente descoberta, os cientistas acreditam que os carros no futuro serão abastecidos não com gasolina ou etanol, mas com hidrogênio líquido. A expectativa é que, com um único tanque cheio, o carro possa rodar por 2.000 a 3.000 quilômetros. 

Esta previsão se baseia no fato de a fotossíntese transformar luz em energia com um índice de conversão superior a 90%, enquanto as baterias solares, por exemplo, apresentam, em média, uma taxa de conversão de apenas 16%.

“O catalisador vai separar água em oxigênio e hidrogênio e, assim, vamos começar a produzir energia renovável. Quando realizarmos esse processo em escala industrial, isso vai revolucionar o setor de energia da Terra, porque o Sol é uma fonte natural e inesgotável de energia”, afirma diz Pável Vorónin, chefe de laboratório no Instituto de Fisiologia Vegetal.

Os cientistas advertem, porém, que a descoberta passará por testes antes da implementação prática. Em primeiro lugar, será necessário decodificar o processo pelo qual o oxigênio é separado das moléculas de água e compreender o princípio de oxidação da água durante a fotossíntese.

“No futuro, a quantidade de hidrogênio produzido pela fotossíntese será suficiente para usá-lo como combustível em motores próprios”, prevê Vladímir Tsidendambaiev, vice-chefe do instituto em Moscou.

Gostaria de receber as principais notícias sobre a Rússia no seu e-mail? 
Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.