Cientistas criam chocolate anti-idade com extratos marinhos

“Sea Masterpiece” tem, por enquanto, duas versões: tradicional e branco

“Sea Masterpiece” tem, por enquanto, duas versões: tradicional e branco

Maria Borodina/Federal do Extremo Oriente
Produto com substâncias extraídas de estrelas e ouriços-do-mar promete aumentar a resistência e rejuvenescer. Instituto já fabrica medicamentos a base de extratos marinhos.

Cientistas do Extremo Oriente russo desenvolveram um chocolate que retarda o processo de envelhecimento e normaliza os processos metabólicos do corpo.

Oficialmente chamado “Obra-prima do Mar” (em tradução livre do russo), o chocolate já foi apelidado de “vitaminas do mar” em virtude de seus muitos ingredientes saudáveis, como extratos de bagas de esquisandra (fruto medicinal), estrelas do mar e ouriços.

Segundo os pesquisadores, o produto também ajuda a aliviar os sintomas de fadiga corporal e aumenta a resistência sob intenso estresse físico e emocional.

“Extraímos as substâncias necessárias – naftoquinonas, uma classe pertencente à vitamina K – a partir das conchas do ouriço-do-mar, que é cultivado em nossa estação marinha experimental, a 200 quilômetros da costa de Vladivostok”, explica Mikhail Kusaikin, vice-diretor do Instituto do Pacífico de Química de Bioorgânica.

“Os pigmentos das conchas do ouriço-do-mar são usados para a produção de medicamentos, e os extratos remanescentes de suas conchas são acrescentados ao chocolate. Acaba sendo uma produção sem desperdício.”

Diadema Sea Foto: Alamy/Legion MediaOrganismos marinhos são totalmente aproveitados na produção Foto: Alamy/Legion Media

Geralmente, os extratos de ouriço-do-mar têm um cheiro forte de peixe, mas os cientistas foram capazes de eliminar os resíduos responsáveis pelo odor.

“O extrato de ouriço-do-mar pode ser adicionado não só para ao chocolate, mas também a biscoitos ou qualquer outro produto”, diz Kusaikin. “O principal é se certificar de que os extratos não são destruídos no processamento, e também não alterar o sabor [do produto final].”

O “Obra-prima do Mar” tem, por enquanto, apenas duas versões: tradicional e branco, em 100 ou 500 gramas. A barra menor será vendida na Rússia por US$ 4,50.

Inspiração britânica, criação própria

Os cientistas russos não escondem que a ideia para o chocolate veio durante a Global Innovation Summit 2015, em Londres, quando a empresa de biotecnologia britânica Lycotec apresentou o “Cambridge Beauty Chocolate”, ou Esthechoc. Este chocolate contém astaxantina, caratenoide que também retarda o processo de envelhecimento.

O primeiro lote de “Sea Masterpiece”, lançado na Rússia, não é grande, adianta Kusaikin, embora grandes empresas já tenham mostrado interesse em adquirir a tecnologia da chocolate.

“Ficaríamos felizes em vender a tecnologia, mas, infelizmente, não podemos”, diz o cientista. “Só podemos produzi-lo em casa e estabelecer joint ventures. As autoridades russas impuseram uma moratória sobre as transações com os ativos da Academia de Ciências. E este é o caso da nossa propriedade intelectual.”

Medicamentos

Os cientistas do Instituto do Pacífico de Química de Bioorgânica já desenvolveram antes outros produtos alimentares com a flora e a fauna do Oceano Pacífico, como, por exemplo, pão e linguiças com extrato de algas marinhas.

O estudo da estrutura e das propriedades de compostos naturais marinhos é desenvolvido há mais de 40 anos e não se limita ao desenvolvimento de alimentos.

O Instituto desenvolve também medicamentos antimicrobianos, para úlcera, hepatite, cirrose e câncer, além de bebidas terapêuticas e suplementos para dietas.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? 
Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.