Empreendedores russos faturam milhões antes dos 30

Capacidade de enxergar oportunidades e capacitação técnica são características comuns dos jovens empreendedores

Capacidade de enxergar oportunidades e capacitação técnica são características comuns dos jovens empreendedores

Cooliris
Lista divulgada pela revista norte-americana “Forbes” apresenta 300 jovens líderes, inventores e empreendedores que se destacam em diferentes setores. Cinco prodígios russos despontam na área de tecnologia.

Aleksandr Debelov, 27 anos, cofundador do Virool

alex_debelov Foto: Press PhotoPlataforma criama por Debelov já emprega mais de 100 funcionários na Califórnia Foto: Press Photo

Nativo de Rostov-no-Don, no sul da Rússia, Debelov mudou-se para a Califórnia para estudar empreendedorismo no Babson College. Depois de um tempo conheceu Steve Wozniak, com quem decidiu criar “uma nova Apple”. O Virool, fundado em 2012, é hoje uma das maiores plataformas internacionais para promoção de vídeos on-line. A empresa já conta com 100 funcionários e mais de 30 mil clientes em todo o mundo.

Dmítri Aksenov, 23 anos, cofundador do DigitalGenious

dmitry_aksenov Foto: Press PhotoAksenov convenceu os pais a continuar os estudos em AI na Inglaterra Foto: Press Photo

A startup DigitalGenious ofereceu um serviço de atendimento ao cliente com uso de inteligência artificial via SMS. Aksenov aprendeu robótica e inteligência artificial quando criança, ainda na Rússia, e depois prosseguiu os estudos em Londres. A ideia da empresa surgiu enquanto ainda estava na universidade no Reino Unido.

Evguênia Kuida, 29 anos, cofundadora do app Luka

eugenia_kuyda Foto: Press PhotoEmbora concebido na Rússia, app de dicas gastronômicas opera em São Francisco Foto: Press Photo
A crítica gastronômica Evguênia Kuida criou um serviço que recomenda e dá dicas de restaurantes com base no seu histórico e preferências. O aplicativo, chamado Luka, se parece bastante com uma conversa de SMS e, com tempo, aprende se você é, por exemplo, vegetarinano ou viciado em queijo. Originalmente desenvolvido na Rússia, o Luka foi lançado oficialmente em São Francisco no início de 2015. O app já faz recomendações em mais de 2.000 restaurantes na cidade norte-americana e promete se expandir para outros pontos do mundo.

Iliá Satchkov, 29 anos, CEO e fundador do Grupo IB

ilya_sachkov Foto: Press PhotoSatchkov alerta para riscos de capacidade de cometer e encobrir crimes na rede Foto: Press Photo

O Grupo IB é especializado na investigação de crimes cibernéticos e violações de segurança da informação – área em que Satchkov está envolvido desde a escola. “Normalmente, os russos inventam novas abordagens que são utilizadas por todos os outros hackers: botnets, ataques DDoS e assim por diante”, diz. “Hoje temos uma situação única que eu chamo de ‘dragão de três cabeças’: a sensação de impunidade, a capacidade técnica para se cometer desfalques e a possibilidade econômica para legalizar o dinheiro roubado.”

Oleg Kivokurtsev, 24 anos, cofundador do Promobot

oleg_kivokurtsev Foto: Press PhotoKivokurtsev começa com limpa-neves próprio e hoje exporta robôs para China Foto: Press Photo

Kivokurtsev desenvolveu sua primeira máquina limpa-neve quando ainda era estudante de graduação na Universidade Politécnica de Perm. Há três anos foi a vez de lançar o Promobot, um robô para lojas de varejo que dá assistência e atrai novos clientes.

No final do ano passado, o jovem de 24 anos assinou um contrato com uma empresa chinesa para equipar um prédio de escritórios em Xangai. Os robôs estão sendo produidos em uma ex-fábrica de tintas na própria cidade de Perm.

Com uso de ferramentas de reconhecimento de voz do Google, o Promobot é capaz de comunicar fluentemente em inglês – e, aparentemente, também em chinês. 

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.