Cientistas planejam explosão nuclear para deter asteroides

Risco de colisão com Terra pode alterar procedimento de destruição de asteroides

Risco de colisão com Terra pode alterar procedimento de destruição de asteroides

Alamy / Legion media
Em vez de desintegrados, corpos celestes terão impulso para mudar de rota. Embora técnica seja proibida atualmente, ameaças pressionam por revogação da norma.

A comunidade científica internacional pediu a especialistas russos que desenvolvam um sistema de desvio de asteroides com base em explosões nucleares no espaço, informou um instituto de pesquisa ligado à agência espacial russa Roscosmos.

“No âmbito do sétimo programa-quadro da UE para pesquisa e desenvolvimento de tecnologias científicas entre 2012 e 2015, conduzimos o projeto NEOShield para investigação de todos os meios de deter objetos perigosos”, informou o instituto.

“O trabalho foi distribuído entre diferentes participantes de vários países,  a tarefa de desviar objetos espaciais com explosões nucleares foi destinado à Rússia.”

Promover uma explosão nuclear perto de um asteroide perigoso é, segundo os cientistas russos, a maneira mais eficaz de prevenir colisões com a Terra, embora explosões nucleares no espaço sejam atualmente proibidas.

“No entanto, se um asteroide representar grande perigo ou até mesmo ameaçar a presença de vida na Terra, essas proibições serão, é claro, suspensas”, acrescentou a assessoria de imprensa do instituto.

A ideia é que, caso necessário, tais explosões nucleares sejam realizadas no espaço sideral, havendo tempo suficiente antes que o objeto se aproxime do planeta.

“A explosão nuclear é adotada para que o asteroide não se desintegre, e sim mude de órbita. Esta mudança será mais evidente à medida que o asteroide se aproximar da Terra na próxima vez – ele será desviado para uma distância segura do planeta.”

O instituto tentará agora atrair especialistas de outras divisões da indústria espacial, bem como da Academia Russa de Ciências.

Publicado originalmente pela agência Tass

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.