Rússia perde território equivalente a Andorra todos os anos

Derretimento de solo congelado também provoca alterações climáticas

Derretimento de solo congelado também provoca alterações climáticas

Serguêi Anisimov/MAMM
Fenômeno considerado “irreversível” se deve ao derretimento de permafrost na costa norte. Alterações climáticas devem mudar dinâmica de agricultura no país.

Devido ao derretimento do permafrost e à erosão da costa nos mares do norte, a Rússia está perdendo todos os anos um território equivalente ao de Andorra (468 quilômetros quadrados). Não é possível interromper o processo, alertou um cientista da filial siberiana da Academia Russa de Ciências à agência Tass.

“A cada ano, por causa do derretimento do permafrost ao longo da costa norte do país, estamos perdendo um território comparável à área de Andorra”, disse o cientista. “As margens no sul também estão em erosão, mas o processo é mais acelerado no norte.”

Segundo o especialista, a diminuição da linha costeira depende de fatores como as características do solo, as tempestades e a espessura de gelo que cobre os mares.

Uma das maiores preocupações é a fronteira da faixa de permafrost que vem se movendo rapidamente em direção ao norte. “Essa fronteira que estamos monitorando moveu-se 30 quilômetros ao norte durante os últimos 40 anos”, acrescentou.

O derretimento do solo congelado provoca aumento da temperatura. Se a média climática for 1 ou 2°C mais elevada, as terras férteis de Stavropol e Krasnodar, no sul do país, sofrerão escassez de água, e a agricultura terá que subir ao nível de Voronej.

“A maioria dos territórios favoráveis para plantio teriam, assim, que se mover 200 a 300 quilômetros ao norte”, concluiu o cientista.

Publicado originalmente pela agência Tass

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.