Kamov, da Sibéria à América Latina

Com cabine para apenas uma pessoa, primeira versão do Ka-50 impossibilitava guiar e efetuar ataque ao mesmo tempo

Com cabine para apenas uma pessoa, primeira versão do Ka-50 impossibilitava guiar e efetuar ataque ao mesmo tempo

VladÍmir Fedorenko/RIA Nôvosti
Autogiro fabricado por camponês na década de 1920 passou por fases e modelos diversos até culminar nos helicópteros mais conhecidos do país.

Nikolai Kamov pode ser definitivamente considerado o pai da construção de helicópteros na Rússia. Porém, como nasceu em um família simples de Irkutsk, na Sibéria, ninguém imaginava que o jovem da taiga siberiana poderia vir a se tornar um dos maiores especialistas no setor.

Na década de 1920, pouca gente na União Soviética se dedicava à elaboração de dispositivos com hélice; na época, os trabalhos eram basicamente artesanais. Em 1929, Kamov, aos 27 anos, construiu o primeiro autogiro – um análogo dos helicópteros conhecidos hoje.

Inicialmente, o uso prático do Kaskr, nome formado pelas iniciais de seus criadores, Kamov e Skrjinski, era insignificante. Mas o potencial do novo veículo foi rapidamente revelado. Os autogiros de Kamov passaram a ser aproveitados na agricultura, sobretudo em terrenos montanhosos, onde os aviões não tinham penetração. E suas funções não pararam por aí.


Criador dos helicópteros Ka, Kamov é considerado "pai da construção de helicópteros na Rússia Foto: RIA Nôvosti

Em 1938, os Kaskr participaram de uma expedição de resgate a exploradores polares soviéticos que estavam à deriva em um bloco de gelo. Já na Grande Guerra Patriótica, os veículos foram usados em missões de reconhecimento e no transporte de pessoas e cargas, já que a capacidade dos autogiros de levantar voo e aterrissar na vertical, sem precisar de pistas, era essencial.

Pronto para combate

A história da – futura famosa – fábrica de helicópteros foi iniciada em 1940, com a criação de um gabinete de construção especialmente para Kamov. O esquema coaxilar de rotação das hélices virou, desde o início, cartão de visita e grande diferencial dos helicópteros de Kamov.

A ideia era simples e genial: nos eixos havia duas hélices que rodavam em sentidos contrários, equilibrando a inércia criada por cada uma delas. Como resultado, os helicópteros eram mais manobráveis e sensíveis à condução.

A nova produção de helicópteros se especializou na fabricação de veículos para a Marinha. O primeiro protótipo proposto por Kamov, em 1944, foi o Ka-8 “Irkutiánin” (natural de Irkutsk, em português), que ficaria encarregado de missões de reconhecimento nos interesses da Marinha de guerra soviética.

As características técnicas desse primeiro veículo eram tão positivas que impulsionaram toda uma nova linha de helicópteros – Kа-10, Kа-15 e Kа-18. No entanto, o avanço mais notável veio com o célebre Kа-25, o primeiro helicóptero soviético de combate.


Fragata Obraztsovi preparada para receber Ka-25 a bordo, em 1976 Foto: Mikhail Kuhtarev/RIA Nôvosti

Destinado à realização de missões operacionais complexas, como a localização e a destruição de submarinos nucleares na ausência de pontos de referência na superfície aquática, o Ka-25 recebeu, pela primeira vez, um radar onidirecional.

Família e latinos

O aparelho Ka-27, uma continuação do Ka-25, deu início, por sua vez, a uma nova família de helicópteros, que inclui o Kа-27PS de salvação, o Ka-28 de combate para exportação, o Ka-29 de desembarque e o Ka-31 de radiolocalização, que podia distinguir navios, aviões e mísseis do inimigo a uma distância de até 300 quilômetros.

Nos anos 1980, começou a ser elaborada uma linha de helicópteros para aviação de ataque. O Ka-50 “Tchórnaia Akula” (Tubarão Negro, em português) ganhou fama mundial graças a seu armamento potente: canhão aéreo, metralhadora e mísseis guiados, além de bombardeamentos.

O modelo apresentava um grande defeito, contudo: a cabine acomodava apenas um piloto, e era impossível ao mesmo tempo guiar a aeronave, procurar o alvo e efetuar o ataque. Por isso, foi decidiu-se iniciar a fabricação em série do Ka-50 de dois lugares, chamada Ka-50 “Alligator”.


Sistemas eletrônicos do Ka-50 aumentam chances de embate aéreo Foto: Snake Eyes

Hoje, este é o modelo de helicóptero mais produzido pela fábrica Kamov. Tanto é que as próprias Forças Aéreas da Rússia receberão 145 “Alligators” até 2020.

Além disso, em uma recente exposição internacional no Peru, a versão atualizada do Ka-50 foi destacada por seus criadores como a variante ideal para os países da América Latina.

Você sabia?

O primeiro helicóptero russo levantou voo ainda antes da revolução de 1917. O veículo foi projetado por Igor Sikorski, que logo depois emigrou para os EUA e criou a base da indústria de helicópteros norte-americana. Na Rússia, Sikorski não deixou nenhum espólio técnico.

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.