Após acidente com Dragon, Rússia oferecerá transporte de carga à Nasa

Nave de carga Dragon, que não possuía suprimentos russos a bordo, estava transportando quase 2 toneladas de suprimentos à ISS Foto: AP

Nave de carga Dragon, que não possuía suprimentos russos a bordo, estava transportando quase 2 toneladas de suprimentos à ISS Foto: AP

Nave de carga espacial Dragon estava acoplada a foguete que explodiu minutos após decolar de base americana, neste domingo (28).

A Rússia vai oferecer espaço a bordo de sua nave de carga Progress à Nasa, para que os americanos possam enviar à Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês) parte da carga que seria enviada pela Dragon. Os suprimentos foram perdidos após explosão do veículo de lançamento Falcon 9.

O veículo de lançamento Falcone 9 explodiu pouco mais de dois minutos depois da decolagem a partir da base de Cabo Canaveral, nos Estados Unidos. Segundo a Nasa, ainda não se pode afirmar com certeza as causas da explosão, mas alguns especialistas afirmam que o acidente pode ter sido causado por um acúmulo de pressão no reservatório de oxigênio líquido.

Falcon 9 explodiu pouco mais de dois minutos após lançamento Fonte: YouTube 

“Nós não podemos dizer muito agora, mas a Progress será lançada ao espaço em uma semana. Vamos fazer nossas propostas aos parceiros americanos nesta segunda”, disse à agência TASS o diretor de operações de voo do segmento russo da ISS, Vladímir Soloviov. “Vamos dizer a eles quais de suas cargas poderíamos transportar.”

A nave de carga Dragon, que não possuía suprimentos russos a bordo, estava transportando quase 2 toneladas de suprimentos à ISS, incluindo produtos alimentícios, equipamento e material para a condução de pesquisas.

A Dragon estava programada para atracar à ISS nesta terça-feira (30). Depois de missão de algumas semanas na estação, a nave de carga espacial deveria retornar à Terra, trazendo trazer resultados de experimentos e outras cargas.

Tanto o veículo de lançamento como a nave de carga pertenciam à empresa aeroespacial SpaceX. Pelo contrato.com a Nasa, avaliado em US$ 1,6 bilhão, a Dragon teria que realizar doze voos para a ISS até o final de 2016.

A Expedição 43, que está atualmente a bordo da estação, inclui os cosmonautas russos Guennádi Padakla e Mikhail Kornienko, além do astronauta norte-americano Scott Kelly. Kornienko e Kelly, que chegaram à ISS no final de março, ficarão lá por quase um ano – em uma missão de 342 dias.

Daqui a um mês, eles serão acompanhados por um novo trio: o cosmonauta russo Oleg Kononenko, e os astronautas norte-americano Kjell Lindgren, e japonês Kimiya Yui. O novo grupo será enviado à ISS a bordo de uma nave Soyuz, em 24 de julho.

 

Publicado originalmente pela agência de notícias Tass

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.