Transplante de cabeça seria “imprudente”, garante acadêmico

Khubutia: “É difícil falar sobre transplante de cabeça antes de viabilizar a regeneração da coluna” Foto: Ruslan Krivobok/RIA Nóvosti

Khubutia: “É difícil falar sobre transplante de cabeça antes de viabilizar a regeneração da coluna” Foto: Ruslan Krivobok/RIA Nóvosti

Médico italiano anunciou que realizará o primeiro transplante de cabeça da história em um voluntário russo. Regeneração da coluna vertebral continua sendo empecilho para esse tipo de cirurgia, segundo acadêmico russo.

O transplante de cabeça planejado pelo neurocirurgião italiano [Sergio Canavero] não será possível até que a ciência médica resolva as questões sobre regeneração da coluna vertebral”, disse à agência TASS Anzor Khubutia, acadêmico e diretor do hospital de emergência Sklifosovski, em Moscou.

Khubutia disse que os planos de Canavero para realizar o primeiro transplante de cabeça humana da história são absolutamente “imprudentes”.

“Pode até ser possível no futuro”, disse Khubutia. “Mas é difícil falar sobre transplante de cabeça antes de viabilizar a regeneração da coluna.”

“Eu ficaria feliz em estar vivo no momento em que o transplante de cabeça for possível”, disse Khubutia, acrescentando que cirurgias hoje de rotina, como transplante de fígado ou coração eram inimagináveis anos atrás.

Em abril passado, Canavero anunciou que realizaria o primeiro transplante de cabeça da história. O programador russo Váleri Spiridonov, que sofre de atrofia muscular genética, se ofereceu para a operação arriscada.

 

Publicado originalmente pela agência de notícias TASS

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.