Cientistas produzirão inteligência artificial em 10 anos

Robôs poderão controlar equipamentos bélicos ou exercer a função de "dispatcher" em aeroportos, segundo diretor de agência russa. Foto: Shutterstock

Robôs poderão controlar equipamentos bélicos ou exercer a função de "dispatcher" em aeroportos, segundo diretor de agência russa. Foto: Shutterstock

Diretor de agência responsável por pesquisas para o setor de defesa russo afirma que robôs que poderão substituir homem estarão prontos em período de sete a dez anos

Rússia quer criar robôs com inteligência artificial avançada dentro de sete a dez anos, de acordo com o diretor do Fundo de Pesquisas de Perspectiva, Serguêi Garbuk.

"A apresentação construtiva da tarefa é a criação de um operador artificial que resolva bem tarefas intelectuais racionais e seja capaz de substituir o homem na resolução dessas tarefas", diz.

Os robôs produzidos hoje não têm inteligência artificial, mas, segundo Garbuk, cientistas russos estão próximos de criar "um tipo de sistema de informacional, mas baseado em novos princípios de arquitetura".

Para ele, tais máquinas poderiam controlar equipamentos bélicos ou exercer a função de "dispatcher" em aeroportos.

O Fundo de Pesquisas de Perspectiva foi fundado em 2012 por iniciativa do vice-premiê Dmítri Rogózin, responsável pela supervisão da produção de defesa, e é um análogo da agência Darpa, sob o Pentágono.

Sua principal área de atuação é a pesquisa científica de alto risco e soluções no setor de defesa. No momento, o fundo tem 49 projetos em seu portifólio, dos quais 26 estão em estágio de realização.

 

Originalmente publicado pelo portal Lenta.Ru

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.