China e Cuba negociam instalação de estações terrestres do Glonass

Sistema russo de localização Glonass é atualmente composto por 28 satélites Foto: TASS

Sistema russo de localização Glonass é atualmente composto por 28 satélites Foto: TASS

Instalações do sistema fora da Rússia devem ser concluídas em, no máximo, três anos.

A Rússia está negociando a implantação de infraestrutura terrestre do sistema de navegação global Glonass com China, Cuba, Nicarágua e Vietnã, segundo o vice-diretor da agência espacial federal Roscosmos, Mikhail Khailov.

“Nós já estabelecemos quatro novas estações terrestres de ajuste de sinal do Glonass no exterior – uma no Brasil e três na Antártica”, disse Khailov. “Agora estamos mantendo conversações com quatro países: China, Cuba, Nicarágua e Vietnã.” Segundo o vice-diretor Roscosmos, para melhorar a precisão do sistema será necessário instalar cerca de 20 estações no exterior, além das 20 estruturas já existentes na Rússia.

O período para a implantação e comissionamento das instalações de Glonass fora do país é estimado em dois a três anos.

O sistema russo de localização Glonass, que é atualmente composto por 28 satélites, tem funcionamento semelhante ao norte-americano GPS. A precisão de localização do sistema é de 3,5 metros, mas a expectativa é que essa margem seja reduzida para 60 centímetros até 2020.

 

Publicado originalmente pela agência de notícias Tass

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.