Brasil negocia importação de sistema de segurança testado em Sôtchi-2014

Sistema é composto por vários elementos: meios de defesa aérea, sistemas de cidade segura e sistemas de comunicação, entre outros Foto: RIA Nóvosti

Sistema é composto por vários elementos: meios de defesa aérea, sistemas de cidade segura e sistemas de comunicação, entre outros Foto: RIA Nóvosti

Aparato, que deverá reforçar segurança durante os Jogos Olímpicos de 2016, inclui meios de defesa aérea, sistemas de comunicação e de cidade segura, entre outros.

A Rosoboronexport, empresa estatal responsável pelas vendas de equipamento militar ao exterior, está propondo a clientes estrangeiros, incluindo o Brasil, um sistema integrado de segurança semelhante ao utilizado nas Olimpíadas de Sôtchi, em 2014.

“As negociações sobre a sua utilização já estão ocorrendo no Brasil, que está se preparando para os Jogos Olímpicos de 2016”, anunciou na segunda-feira passada (2) à rádio Ekho Moskvi o vice-diretor da Rosoboronexport, Serguêi Goreslávski.

“Trata-se de um sistema de segurança integrado e baseado em tecnologia russa. Ele está assentado sobretudo no sistema de segurança e defesa aérea Pantsir S-1, que foi aplicado com sucesso para garantir a tranquilidade durante os Jogos Olímpicos de Sôtchi”, acrescentou Goreslávski.

Segundo o vice-diretor da Rosoboronexport, o sistema é composto por vários elementos: meios de defesa aérea, sistemas de cidade segura e sistemas de comunicação, entre outros.

“Esperamos fechar ainda este ano o contrato com o Brasil para entrega do sistema de defesa antiaérea Pantsir”, arrematou Goreslávski.


Publicado originalmente pela agência de notícias RIA Nôvosti 

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.