Lançador de granadas DP-64 começa a ser fabricado em série

O DP-64 foi desenvolvido na fábrica Degtiarev em 1989 Foto: Valéri Charifúlin/TASS

O DP-64 foi desenvolvido na fábrica Degtiarev em 1989 Foto: Valéri Charifúlin/TASS

Forças da Marinha de Guerra vão receber lançador de granadas de 45 milímetros e cano duplo “Nepriadva”, capaz de atingir alvos submarinos. Embora incorporada ao Exército em 1990, arma nunca tinha sido produzida em massa.

“Em 2014 recebemos uma encomenda considerável do Ministério da Defesa. Não podemos falar de valores exatos nem em quais unidades serão entregues, mas será para a Marinha de Guerra russa”, disse a jornalistas o representante da empresa Basalt durante a feira de Defesa IDEX-2015, em Abu Dhabi.

O lançador de granadas foi projetado para proteger os navios do ataque de homens-rãs (mergulhador equipado com garrafas de oxigénio e barbatanas) em angras ou enseadas externas e em áreas abertas de ancoradouro. O DP-64 também é usado para garantir a segurança de infraestruturas costeiras e plataformas offshore.

O seu alcance máximo é de 400 metros e lança granadas altamente explosivas, uma de cada vez por cada um dos canos. Além disso, para facilitar a detecção de algum homem-rã durante a noite, o seu kit de munições inclui granadas luminosas.

O DP-64 foi desenvolvido na fábrica Degtiarev em 1989, porém, até recentemente nunca tinha sido produzido em série. Em 1990, foi incorporado no serviço militar.

Inicialmente, apenas as tropas especiais da KGB, na URSS, possuíam esta arma. Depois, começou a ser produzida em pequenos lotes para os fuzileiros navais, o Serviço de Segurança Nacional, as forças fronteiriças e os destacamentos antissabotagem.

O DP-64  pode ser incorporado ainda ao armamento de unidades da guarda costeira, navios militares e civis, lanchas e outras embarcações, além do seu potencial de exportação.

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.