Estaleiros de São Petersburgo apresentam projeto de novo porta-aviões

Maquete representa ponto de partida do navio, que poderá incluir características específicas de acordo com requisitos apresentados pelos clientes Foto: Press Photo

Maquete representa ponto de partida do navio, que poderá incluir características específicas de acordo com requisitos apresentados pelos clientes Foto: Press Photo

Representantes do Centro Estatal de Pesquisas Krilovski apresentaram maquete de dois metros de um novo porta-aviões multifuncional. Apesar de o projeto empregar novas soluções tecnológicas, a aquisição de porta-aviões não está prevista no programa estatal de rearmamento até 2020.

Os especialistas do Centro Estatal de Pesquisas Krilovski apresentaram o conceito de um novo porta-aviões durante entrevista coletiva nesta semana. A maquete exibida junto à apresentação representa, segundo os engenheiros, “apenas um conceito, um ponto de partida do navio, que poderá incluir características específicas de acordo com requisitos apresentados pelos clientes”.

De acordo com o modelo apresentado, o porta-aviões possuirá um casco com características hidrodinâmicas capazes de reduzir a resistência à agua em até 20%, aumentando a autonomia e velocidade do navio.

Além disso, com tamanho e área útil do convés maiores que o do atual Almirante Kuznetsov, o novo modelo poderá transportar até 100 aeronaves.

Também será possível operar diferentes tipos de aeronaves, incluindo as de Alerta Aéreo Antecipado e Controle (AWACS, na sigla em inglês), bem como lançar e receber aviões em qualquer condição climática. Isso se deve, em parte, à inclusão de catapultas. As aeronaves AWACS, por exemplo, são mais pesadas que os caças MiG-29, e o lançamento é facilitado com a ajuda de catapultas.

O novo porta-aviões promete ainda maior flexibilidade no lançamento de caças, que serão capazes de decolar com a carga de combate completa.

Atualmente, os caças com carga completa só decolam a partir de uma posição mais à retaguarda do Almirante Kuznetsov e têm que atravessar o convés inteiro durante a decolagem. Isso aumenta o tempo para lançamento e impacta negativamente na segurança das operações aéreas no convés.

Espera até 2020

Apesar do anúncio do projeto, não está prevista a aquisição ou o desenvolvimento de um porta-aviões para a Marinha russa no programa estatal de rearmamento até 2020. A alocação de recursos para o futuro projeto é esperada no âmbito dos programas de modernização da frota até 2050.

“A Rússia planeja construir um novo porta-aviões, mas não nos próximos cinco anos”, garantiu em entrevista à agência Ria-Nôvosti o vice-ministro da Defesa, Iúri Borísov.

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.