Kremlin aposta em novo sistema de vigilância global

A ideia é que o programa trabalhe não apenas com textos, mas também analise as redes sociais e os comentários dessas páginas Foto: Grigóri Sissoev

A ideia é que o programa trabalhe não apenas com textos, mas também analise as redes sociais e os comentários dessas páginas Foto: Grigóri Sissoev

País está se armando não só com mísseis, mas também com programas de inteligência e análise on-line. Sistema de monitoramento e análise da situação político-militar na Rússia e no mundo está sendo concebido pela Corporação de Engenharia Mecânica.

O projeto do programa de vigilância global, que será desenvolvido para uso do Centro Nacional de Gerenciamento da Defesa, foi lançado no ano passado. O hardware e software do sistema irão acompanhar o desenvolvimento de múltiplas informações na internet e determinar a sua importância a partir do número de leitores, comentários e respostas.

“Em sua essência, trata-se da criação de um novo campo de batalha: o da informação online sob total controle da Defesa e das unidades operativas de combate on-line”, explicam os representantes da Corporação de Engenharia Mecânica.

A ideia é que o programa trabalhe não apenas com textos, mas também analise as redes sociais e os comentários dessas páginas. Segundo os especialistas envolvidos no processo, isso permitirá reconhecer ataques, suas fontes e efeitos.

A conclusão dos trabalhos está prevista para meados de 2016. Nas fases iniciais o sistema irá trabalhar com até seis línguas, com extensão para outros idiomas conforme necessidade dos clientes.

“Estamos também introduzindo um sistema de ‘cross-language’, capaz de selecionar no fluxo de informação as mensagens que se relacionam com uma determinada consulta, traduzir um texto estrangeiro, analisá-lo e atualizar os dados estatísticos e o material final”, conta o diretor-geral da holding Sistemas de Controle, que faz parte do Complexo Industrial de Defesa da Rússia, Andrêi Riznik.

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.