Pedaço de meteorito de Tcheliábinsk ‘ganha’ 32 quilos

O menor fragmento do meteorito está atualmente em exposição na Casa Central dos Artistas, em Moscou, até 22 de fevereiro Foto: Reuters

O menor fragmento do meteorito está atualmente em exposição na Casa Central dos Artistas, em Moscou, até 22 de fevereiro Foto: Reuters

Imagine ganhar 32 quilos no intervalo de apenas dois meses. Foi exatamente o que aconteceu com o maior fragmento do meteorito que caiu em Tcheliábinsk em 2013, segundo novos dados divulgados por cientistas russos.

O fragmento do meteorito, que ganhou as manchetes mundiais há dois anos, foi pesado pela primeira vez em novembro do ano passado. Na época, o procedimento realizado por especialistas da Academia de Ciências da Rússia registrou 473 kg.

Porém, quando a rocha foi pesada novamente na última segunda-feira (26) no Museu Histórico Regional de Tcheliábinsk, as balanças eletrônicas de alta precisão deram por três vezes um resultado entre 505 kg e 510 kg – com margem de erro de 1%.

De acordo com o geólogo e mineralogista da Universidade Estatal do Sul do Ural, Serguêi Kolisnitchenko, saber o peso exato do pedaço de meteorito seria extremamente útil para os cientistas.

“Partindo do peso exato, podemos calcular com mais precisão como o meteorito se comportou na atmosfera durante o processo de desintegração”, publicou Kolisnitchenko no site do museu. “Essa informação será útil para prever o trajeto de futuros asteroides em direção à Terra.”

O meteorito foi retirado do lago Tchebarkul, a cerca de 70 quilômetros a oeste de Tcheliábinsk, em outubro de 2013 e poderia ser ainda maior se não tivesse se partido em três pedaços durante o processo de extração.

O menor fragmento do meteorito está atualmente em exposição na Casa Central dos Artistas, em Moscou, até 22 de fevereiro. O fragmento ficou anteriormente exposto durante os Jogos Olímpicos de Inverno de 2014, em Sôtchi.

 

Publicado originalmente pelo The Moscow Times

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.