Crise econômica deve adiar planos de estação orbital própria

A Rússia havia manifestado anteriormente a intenção de abandonar o programa da ISS em 2020 para redirecionar recursos a outros projetos Foto: NASA

A Rússia havia manifestado anteriormente a intenção de abandonar o programa da ISS em 2020 para redirecionar recursos a outros projetos Foto: NASA

Em dezembro passado, a Agência Espacial Russa (Roscosmos) anunciou planos de construir sua própria estação espacial. Entretanto, especialistas acreditam que a atual situação econômica impedirá o país de realizar um projeto dessa magnitude.

De acordo com o diretor da Roscosmos, Oleg Ostapenko, o desenvolvimento de uma estação própria iria aumentar a capacidade de observação do território da Rússia, bem como funcionar como futura base para expedições lunares.

No entanto, especialistas alertam que o projeto só será possível se o país não se comprometer a continuar as operações na atual ISS (Estação Espacial Internacional, na sigla em inglês) até 2024, como propõe os Estados Unidos.

A maioria dos entrevistados pela Gazeta Russa consideram a ideia de construção de uma estação espacial propriamente russa se inserir no contexto de uma “guerra de palavras” entre a Rússia e os Estados Unidos, justamente em um momento de esfriamento das relações bilaterais.

“O discurso de criação de uma estação própria apareceu depois que os americanos ameaçaram suspender a cooperação com a Rússia no setor espacial diante das sanções ocidentais”, disse à Gazeta Russa Aleksêi Arbátov, diretor do Centro de Segurança Internacional do Instituto de Economia Mundial e Relações Internacionais. “Nas condições da crise econômica atual, a execução do projeto de uma estação própria é um disperdício de recursos.”

A Rússia havia manifestado anteriormente a intenção de abandonar o programa da ISS em 2020 para redirecionar recursos a outros projetos. A decisão final sobre a extensão da participação do país nas atividades da ISS ou da construção de uma estação própria será feita em maio deste ano.

Estação nova, módulos antigos

A ideia de uma estação própria pela Rússia remonta à década de 1990, quando planejava-se a Mir-2, em substituição da anterior. No entanto, o país decidiu manter seu foco na ISS. Hoje, especialistas frizam que o discurso da implementação da estação espacial não se trata de um novo projeto, mas da utilização das capacidades existentes.

O editor chefe da “News of Cosmonautics”, Ígor Afanasiev, acredita que o atual projeto refere-se à continuação do programa anterior. “Os novos módulos a serem construídos para a ISS são projetados para que, em caso de desligamento da parte russa da estação, eles poderão operar de forma autônoma. Tavez esse seja indício de um plano para criar uma estação própria”, explica.

Reformas espaciais?

Por recomendação da Roscosmos, os países que operam a ISS do lado russo criaram um grupo de trabalho para decidir o destino da estação e determinar o período de vida útil de estação. Se a Rússia optar por uma estação própria, todos os seus esforços estarão destinados a ela, mesmo que a ISS continue a existir. Neste caso, planeja-se oferecer o segmento russo da ISS à utilização comercial, alugando-o a outros países.

Em 2008, a Rússia se manifestou a favor da extensão da vida útil da estação para o período após 2015. Dessa forma, especialistas acreditam que, depois de 2020, quando findarem as obrigações russas perante a ISS, a cooperação russa-americana não irá acabar.

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.